30 agosto 2009

Elementais


O nome Elemental significa "Espírito Divino". El=senhor; mental=vibração mental superior. Estes são os espíritos da natureza.


A história nos conta sobre os seres elementais, desde a mais remota antiguidade. E, os antepassados de toda a humanidade legaram inúmeros relatos a respeito dos mesmos.


No início da humanidade na Terra, os seres da natureza, encarregados de cada elemento, cuidaram para que tudo fosse feito com exatidão e ordem:


1)- A Terra ainda numa massa de gases de matéria incandescente radioativa, coube aos elementais do fogo executarem seu trabalho;


2)- Na época dos grandes ventos, os elementais do ar, zelaram pela evolução desses gases de modo a tornar o ambiente apto a receber formas de vida:


3)- Quando esses gases se precipitaram sobre a água, os elementais da água modificaram o aspecto denso desse líquido;


4)- Então, iniciou-se a solidificação, surgindo aos poucos os continentes que foram fertilizados pelos elementais da terra.


A criação representa um todo inseparável, uma corrente cujos elos não podem ser rompidos.


Os Elementais são os dinamizadores das energias das formas e integram-se aos Elementos da Natureza:


Elemento Terra:Esse elemento e seus dinamizadores trabalham para que a humanidade tenha corpos perfeitos, e possam desenvolver suas atividades espirituais a nível cósmico. A ação qualificadora destes seres é representada por vulcões e terremotos. No nosso corpo, este elemento é representado pelos sais minerais. Livres da ganância nos aproximamos dos Seres da Terra.


Trabalhando com a terra temos: Gnomo, Duende, Fada, Dríade, Elfo, Pã, Flor do Campo (c. florz.), Curupira, Saci.


Elemento Água: Este elemento e os seres que fazem parte dele, estão relacionados ao nosso corpo Emocional, tendo a função de depurá-lo. No plano físico, são grandes agentes de purificação da atmosfera e principalmente na agricultura. Sua ação qualificadora é demonstrada em enchentes, maremotos etc.


No corpo humano, o elemento líquido representa 70% do seu volume. Livres das fraquezas, através da firmeza, nos aproximamos dos Seres da Água.


Trabalhando com a água temos: Ondina, Nereida, Sereia, Naiade (grécia), Uiara, Mãe D'água.


Elemento Fogo: Esse elemento, e todos os seres que habitam o mesmo, representam a maior força possível, uma vez que são a expressão do próprio Fogo Sagrado de onde provém as várias chamas atuantes nos universos. A ação qualificadora deste elemento provém das atividades vulcânicas e grandes queimadas. No corpo humano, esse elemento funciona através da temperatura, expressões emotivas e psíquicas. Dominando as paixões, o ser humano aproxima-se desses seres.


Trabalhando com o fogo temos: Salamandra, Njami (Sibéria), Ucha (Índia) Boitatá.


Elemento Ar:Esse elemento e seus dinamizadores, são de extrema importância para a manutenção da vida no plano físico. Sem o Ar, o ser humano não pode sobreviver. A atividade benéfica dos Seres do Ar é sentida na brisa, no impulso dos barcos, navios e aviões. Sua atividade qualificadora está nos furacões, ciclones, tempestades. No corpo do homem o ar está na respiração, no alento divino. Com a constância, o homem aproxima-se dos seres do ar.


Trabalhando com o ar temos: Silfo, Silfide, Íris (Grécia), Indra (Índia), Bórea (Grécia).


EVOLUÇÃO


A escalada da evolução, parte dos pequenos elementais da terra seguindo até os dirigentes de grandes extensões e compreensão, chamados Devas e Elohim.


Elohim: São os dirigentes do Reino, ponto alto da Hierarquia Elemental. Trabalham junto aos Mestres Ascensionados e Arcanjos. São doadores do modelo divino para formação dos espaços materiais.


Deva: Palavra sânscrita que significa "Ser Brilhante". São encarregados da dinamização de grandes áreas como: mares, florestas, cadeias de montanhas, grandes árvores, tendo a seu encargo a instrução de seres menores no trabalho da natureza.


Veladores Silenciosos: Estes seres cuidam da proteção energética de Planetas, Sistemas, Universos, Galáxias. São encarregados também da recepção dos apelos dos seres humanos, energizando-os e elevando-os ao Pai, recolocando-os qualificados e atendidos diretamente ao alcance da humanidade.


A INVISIBILIDADES DESSES SERES


Os materialistas, não acreditam na existência dos Seres da Natureza alegando não serem visíveis.


A invisibilidades desses seres é explicada pelo fato de serem formas etéricas, habitantes de planos energéticos com múltiplas graduações, não perceptíveis aos olhos humanos. Muitas observações mostram que os Elementais usam duas formas distintas:


Ø O Corpo Astral Permanente.


Ø Um veículo etérico materializado Temporariamente.


FAMÍLIA CÓSMICA


Temos uma família cósmica que nos acompanha na caminhada da Evolução. Vamos hoje, fazer uma aliança de intenções para que nos ajudem a manter a saúde em nossos corpos, para nos manter saudáveis e conectados com nossa divindade interna.


Sintonizando o Reino dos Elementais


Condições ideais para contatar os Elementais:


1) Com base nas condições climáticas, podemos ser ajudados no contato:


Terra / Água = Junho, Julho, Agosto (Primavera).


Água / Ar = Março, Abril, Maio (Inverno).


Ar / Fogo = Dezembro, Janeiro, Fevereiro (Outono).


Fogo / Terra = Setembro, Outubro, Novembro (Verão).


2) Tendo como base o signo e o nome:









































Elemento



Vogal



Signo



Elemental



Fogo



I



Áries / Leão / Sagitário



Salamandra



Terra



U



Touro / Capricórnio / Virgem



Gnomo



Ar



E



Gêmeos / Libra / Aquário



Silfo



Água



O



Câncer / Escorpião / Peixes



Ondina



Éter



A



O éter é a substância de onde emanam todos os elementos da criação, elementais e signos



FILHOS DA TERRA

Estes terão de encarar o desafio de enfrentar os estímulos energéticos do mundo ao redor. É importante revigorar a conexão com a energia do gnomo pessoal andando descalço no barro ou grama. Passar algum tempo junto a plantas e árvores.


São ligados ao Arcanjo Uriel. O Rei do Elemento é Ghob. O Elohim é Tranquilitas (O Guerreiro que marcha). 6º Raio - Rubi / Devoção-Paz.


FILHOS DA ÁGUA


Nestes predomina o intenso envolvimento emocional. Necessitam da aproximidade com a água. A imersão total é o ideal, pois fortalece a ondina pessoal, uma vez que a água é sua força equilibradora.


São ligados ao Arcanjo Gabriel. O Rei do Elemento é Niksa. O Elohim é Claire (A Harmonia x Conflito = crescimento). 4º Raio - Branco / Ascensão-Pureza.


FILHOS DO AR


Nestes predomina a ordem mental e o envolvimento social. Para recarregar o elemento primordial e fortalecer o silfo pessoal, precisam de ar puro e eletricamente carregado. Topos de montanha, locais afastados da umidade, onde o ar é seco e vivificante, é muito bom para reconectá-los.


São ligados ao Arcanjo Rafael. O Rei do Elemento é Paralda. O Elohim é Vista (O que protege o segredo). 5º Raio - Verde / Verdade-Cura.


FILHOS DO FOGO


As pessoas do fogo necessitam de muito sol e atividades vigorosas para realimentar seus veículos. Necessitam passar bastante tempo ao ar livre. Os lugares onde o sol brilha com força e intensidade são essenciais a sua saúde e ligação com a salamandra pessoal, bem como com os demais elementos.


São ligados ao Arcanjo Miguel. O Rei do Elemento é Djinn. O Elohim é Hércules (O que abre portas). 1º Raio - Azul / Vontade-Poder.


Duendes (Elementais da Terra Vegetais)


Os Duendes são alegres, amam festas, músicas e danças.O comportamento varia em geral baseiam em atitudes humanas por estarem próximos aos homens. Esta aproximação sempre é favorecida quando o ser humano está mais frágil e sensível. Os Duendes são ligados à Terra e geralmente conseguem controlar imprevistos da natureza.Os Duendes vivem vários anos e chegam a constituir famílias. Adoram comer e fazer brincadeiras tais como esconder objetos. Alguns possuem orelhas grandes e pontudas e grande quantidade de pêlos no corpo. Quando confiam nos homens se tornam fiéis e grandes protetores.


Magnodum:Duende da Magia
Tende: Duende da Sorte
Dunaz: Duende da Natureza
Dulei: Duende da Alegria
Duendo: Duende da União


Alguns usam roupas tecidas do elemento em que vivem. Em outros casos a sua vestimenta é parte deles mesmos e cresce com eles como o pêlo dos animais. Afirma-se que os gnomos têm apetites insaciáveis e que gastam uma grande parte do tempo comendo; mas ganham seu alimento através de um trabalho diligente e consciencioso. Muitos são de temperamento avaro e gostam de acumular coisas escondidas longe, em plantas secretas. Existem provas abundantes de que as crianças pequenas freqüentemente vêem gnomos, na medida em que seu contato com o lado material ainda não está completo e que elas funcionam, mais ou menos conscientemente, nos mundos invisíveis.


Os duendes estão estabelecidos no distrito de Dartmoor, na Cornualha.


É difícil citar um lugar em Dartmoor, que não seja "assombrado" pelas verdes criaturas travessas.
Eles emprestam seus nomes a muitos marcos divisórios, Bosque dos Duendes, Cavernas dos Duendes, Salão dos Duendes, Pedra dos Duendes. Os pequeninos dançam às sombras das pedras verticais, ou fazem travessuras nas margens pedregosas dos riachos. O repicar de seus sinos pode ser ouvido no fundo do coração dos muitos picos rochosos dos terrenos não cultivados.


Os duendes traquinas adoram roubar cavalos e pôneis para cavalgarem loucamente pela chanerca, enrolando e embaraçando suas crinas, fazendo com que esvoacem ao vento. Mesmo em casa, não se está seguro com relação a eles pois gostam de atirar potes e panelas nas cozinheiras.


Embora apreciem muito uma brincadeira, os duendes são trabalhadores e esforçados e são vistos freqüentemente à noite debulhando milho em troca de pão e queijo.


As lendas dizem que são pequenos anões, um gnomo ou duende pode variar de 3 a 30 cm de altura.
O comportamento varia em geral baseiam em atitudes humanas por estarem próximos aos homens.
Esta aproximação sempre é favorecida quando o ser humano está mais frágil e sensível.
Os Duendes são ligados à Terra e geralmente conseguem controlar imprevistos da natureza.
Tanto Gnomos como Duendes vivem vários anos, cerca de cem anos e chegam a constituir famílias.
Adoram comer e fazer brincadeiras tais como esconder objetos.
Alguns possuem orelhas grandes e pontudas e grande quantidade de pêlos no corpo.
Quando confiam nos homens se tornam fiéis e grandes protetores.


Fadas (Elementais Das Flores)


Se você sair por aí perguntando o que as pessoas acham a respeito das Fadas ou se elas existem mesmo, obterá as mais variadas respostas para o assunto.

Algumas pessoas lhe dirão que elas são espíritos da natureza...

Outras acreditam que são espíritos das trevas que habitam nos limites das dimensões terrestres...

Há quem diga que são anjos caídos...

Por estarem associadas a mitos pagãos, os líderes religiosos da Idade Média as rotularam de "espíritos demoníacos", tentando desmistificá-las nos antigos ritos e crenças encontrados em toda a Europa. Contudo, existem referências a elas por todos os cantos do globo. No Japão, crê-se que podem ser encontradas em certos bonsais sagrados. Na África, elas são invocadas para obter certos favores.

Alguns estudiosos de mitologia chegaram à conclusão de que a crença na existência das fadas decorre da adaptação ou má compreensão de mitos mais antigos. Mas também acontece de encontrarmos certas fadas que nos levam a crer que tenham sido criadas pela fértil imaginação humana, sempre pronta em encontrar apoio externo para solucionar seus problemas e dificuldades. Outras, foram criadas para explicar certos fenômenos naturais para os quais a humanidade ainda não tinha respostas racionais.

Contudo, é bastante interessante observar que em países distantes entre si, como na Índia e Polinésia, as fadas possuem nomes com raízes semelhantes aos nomes utilizados pelos povos germânicos e celtas.
Por si só, esta é uma sugestão de que tiveram um berço comum, que reside muito longe na pré-história.

O paganismo moderno, entretanto, tem outro ponto de vista a respeito das fadas. Acreditam que foram criadas pelos deuses da mesma forma que os seres humanos e os outros animais. São uma forma de vida que acontece paralelamente ao nosso mundo visível, em um plano astral ou interior. Contudo, elas têm a habilidade e capacidade de transcender esses planos e rapidamente viajar através deles.

De certa maneira, estão associadas aos elementais, embora não sejam uma forma de energia pura.
São seres pensantes que têm sentimentos e podem realizar encantos ou mesmo agir junto com bruxas e feiticeiras para diversas atividades mágicas ou ritualísticas.

A participação e a interação das fadas na vida cotidiana de nossos ancestrais pagãos era uma ocorrência bastante comum. Há quem diga que houve um tempo, quando os dons intuitivos dos seres humanos eram mais despertos, que fadas e humanos relacionavam-se normalmente entre si.
As crenças pagãs afirmam ainda que trabalhavam e viviam juntos.

Mas, conforme as nossas capacidades mentais se tornaram mais representativas, os seres humanos acabaram por colocar as fadas em segundo plano em seu imaginário e cotidiano. Com o tempo, mesmo as crenças pagãs passaram a atribuir às fadas outros papéis que diferiam dos iniciais. Como conseqüência, houve desentendimentos entre os dois reinos, bem como, as diferenças entre ambos se tornaram mais acentuadas.

E foi assim que as fadas se tornaram travessas, caprichosas e ciumentas, especialmente quando os seres humanos as exploravam e às suas dádivas e presentes...

Da mesma forma que fazemos hoje com a Mãe Terra

As fadas moram embaixo da terra, sobre as águas, ou até mesmo no ar (nos galhos das árvores).
Elas não gostam de serem vistas pelas pessoas e podem aparecer e desaparecer num piscar de olhos.
Mudam de forma quando há necessidade.
Deixam felicidade e sorte por onde passam Um Aviso: Jamais espie o banho das fadas na cachoeira, pois esse banho é um ritual mágico e secreto.
Quem desobedecer mergulhará no Mundo da Fantasia e não conseguirá mais voltar para a vida real.


Gnomos (Elementais da Terra Minerais)


Os elementais que vivem no corpo atenuado da Terra que se denominará éter terrestre agrupam-se sobre a denominação geral de gnomos ( o nome provavelmente deriva do grego genomus, que significa habitante da Terra).


Assim como existem muitos tipos de seres humanos evoluindo através dos elementos físicos objetivos da natureza, também há muitos tipos de gnomos desenvolvendo-se através do corpo etérico da natureza.


Algumas famílias de gnomos agrupam-se em comunidades, enquanto outros são habitantes indígenas das substâncias em que trabalham. Afirma-se que em cada arbusto, planta ou flor tem o seu espírito de natureza, que freqüentemente usa o corpo físico da planta como sua habitação.


Vivem em perfeita sintonia com os animais, até mesmo os mais ferozes e perigosos, com quem se comunicam com facilidade pois são capazes de falar a linguagem de toda a fauna habitante das floretas e por conseguinte tem a capacidade de entender seus problemas. Eles têm sua própria linguagem e o rúnico antigo é o nome dado à língua utilizada por esse povo, muito embora os gnomos falem e compreendam perfeitamente a língua dos homens

Os Gnomos são seres de pequena estatura, e por sua íntima ligação com a Terra, desenvolveram grandes habilidades para lidar com ela. Trabalham nas minas escavando minerais valiosos, especialmente ouro e prata, com os quais constroem ferramentas valiosas. Existem gnomos do sexo masculino e gnomos do sexo feminino e, além das diferenças anatômicas, distinguem-se por sua vestimenta. Os gnomos homens vestem-se com uma bata geralmente de cor azul, calç! as verdes ou marrons e sapatos que variam que, dependendo da localidade onde vivem podem ser botas de feltro, sapatos de casca de bétula ou tamancos de madeira, além de seu chapéu, elemento mais característico de sua indumentária. Trata-se de um pontiagudo gorro vermelho, feito de feltro e sólido desde a base até a ponta. As mulheres gnomas, por sua vez, vestem-se com roupas escuras, mais precisamente cor de cáqui assemelhando-se dessa forma, à folhagem evitando ser presa fácil dos humanos.


Os gnomos são de vários tamanhos - muitos deles bem menores que os seres humanos, ainda que alguns tenham o poder de alterar à vontade sua estatura, o que resulta da extrema mobilidade do elemento em que funcionam. A respeito deles escreve o abade de Villars: "A Terra está, desde a superfície até o centro, cheia de gnomos, criaturas de pequena estatura, que são guardiães dos tesouros minerais e pedras preciosas. Eles são engenhosos, amigos do homem, e fáceis de governar."


Há diversas espécies de Gnomos, entre eles estão os gnomo da floresta, o do deserto, o do jardim, o doméstico, o da fazenda e o gnomo siberiano.


Nem todas as autoridades concordam quanto à disposição amigável dos gnomos. Muitos afirmam que eles são de natureza astuta e maliciosa, difíceis de conduzir, e traiçoeiros. Os autores concordam, entretanto, que uma vez ganha sua confiança eles são sinceros e dignos de fé.


Afirma a lenda que o personagem nasceu na Noruega, onde Frederik Ugarph encontrou uma pequena estátua de madeira medindo apenas quinze centímetros de altura com uma inscrição com os seguintes dizeres: "Gnomo, estatura real".
As lendas dizem que são pequenos anões, um gnomo ou duende pode variar de 3 a 30 cm de altura. O comportamento varia em geral baseiam em atitudes humanas por estarem próximos aos homens. Esta aproximação sempre é favorecida quando o ser humano está mais frágil e sensível.
Os Gnomos são os guardiões dos minerais, com capacidade até de transformar rocha
em cristal. Os
gnomos possuem grandes narizes redondos, olhos aguçados e longos cabelos, que chegam facilmente a se arrastar no chão quando não são cortados. Os gnomos possuem pele cinza, e cabelos violetas, mas não raro, a cor do cabelo pode variar a azul ou vermelho, até mesmo branco.


As cores dos olhos variam na mesma gama de cores. Como raça são unidos, mas muito atrapalhados. São nômades, vagando em caravanas confusas, cheias de penduricalhos e remendos. A sociedade dos gnomos, é cheia de regras aparentemente inúteis, mas muito importantes na vida do gnomo.
Entretanto são bons lapidadores, e a maioria das jóias mágicas que você irá encontrar em suas jornadas serão de fabricação gnômica. Caso você encontre uma destas jóias a venda, não hesite em comprá-la.
Qualquer jóia encantada por um gnomo vale a pena possuir. Entretanto, infelizmente, elas não serão baratas. Os gnomos casam-se e têm famílias, e as mulheres gnomos são denominadas gnomíadas.


O Gnomo vive aproximadamente 400 anos e quando se aproximam dessa idade, já começam apresentar sinais de envelhecimento tais como perda da memória e da agilidade. Essas criaturas não são imortais e quando é chegada a hora, o gnomo, acompanhado de sua esposa, se encaminham para a Montanha da Morte e então nunca mais são vistos. Depois disso, a árvore que receberam ao nascer, vegetal que todo Gnomo recebe ao nascer chamada de "A Árvore do Aniversário" , começa a definhar até que finalmente seca e morre.


Os Gnomos são seres quase esquecidos. Uma vez que trabalham na floresta durante à noite e algumas vezes nas casas dos humanos. A palavra Gnomo é derivada de KUBA-WALDA,que em alemão antigo quer dizer administrador da casa ou mesmo espírito da casa.Antigamente eram vistos e aceitos pela sociedade , mas isso aconteceu numa época em que as águas eram límpidas e as matas todas virgens.
Depois disso , tudo mudou, e os gnomos foram obrigados a se retirarem da sociedade , indo para os esconderijos nas florestas, muitas vezes subterrâneos e de acesso tão difícil que desde então a crença neles tem decrescido.Entretanto, mesmo sem vê-los sabemos que existem lindos coelhos nas campinas e que os alces habitam os bosques.Assim é o com os Gnomos: você pode não vê-los, mas eles estão lá. A diferença entre Gnomos e Duendes é que os Gnomos são de carne e osso, e não um ser espiritual como é ! o Duende.


Idioma= têm sua própria linguagem;
Demonstração de afeto= esfregam o nariz;
Tato= possuem nos dedos a mesma sensibilidade das pessoas cegas;
Audição= muito mais aguçada do que a do homem;
Espécies de Gnomos= Gnomo da Floresta, Gnomo do Deserto, Gnomo do Jardim, Gnomo Doméstico, Gnomo da Fazenda, Gnomo Siberiano.


Ondinas (Elementais da água)


Esta classificação aplica-se a todos os seres associados ao elemento água e à sua força.

Estão presentes nos lugares onde há uma fonte natural de água. A atividade das ondinas se manifesta em todas as águas do planeta, quer provenham de chuvas, rios, mares, oceanos,etc. Da mesma forma que os gnomos, estão sujeitas à mortalidade, mas sua longevidade e resistência são bem maiores.

A água é a fonte da vida e estes seres são essenciais para nos auxiliar a encontrar a nascente interior.
Despertam em nós os dons da empatia, da cura e da purificação.

Muitas lendas sobre sereias, damas dos lagos e demais espíritos aquáticos sobreviveram até os nossos dias. Na realidade, trata-se de uma categoria mais evoluída de fadas que operam no interior do elemento, já que a natureza das ondinas é bem mais primária e menos desenvolvida. Os espíritos da água aparecem com maior freqüência sob forma feminina, mas formas masculinas como os tritões também estão presentes entre os espíritos mais evoluídos do elemento. As ondinas colaboram para a manutenção de nossos corpos astrais. Despertam e estimulam a natureza emotiva. Realçam nossas intuições psíquicas e respostas emocionais. As energias da criação e do nascimento, assim como a premonição e imaginação criativa,pertencem a seu domínio.

Também nos ajudam a absorver, digerir e assimilar as experiências da vida para que façamos pleno uso delas.
Além disso, é graças a elas que sentimos o profundo êxtase presente nos atos vitais criativos, seja de natureza sexual, artística ou até no cumprimento dos deveres com o toque emocional adequado.

As ondinas freqüentemente fazem sentir sua presença no plano onírico.
Sonhos em ambientes aquáticos ou que transbordam sensualidade espelham a sua atividade permitindo um aumento da criatividade em nossas vidas. O trabalho com elas nos ajuda a controlar e direcionar a atividade onírica, bem como a fortalecer o corpo astral, possibilitando vivências mais nítidas e conscientes durante viagens aos planos astrais.

Uma ondina em particular nos acompanha ao longo de toda a vida. A sintonia com ela possibilita o contato com outros seres de seu elemento. Esse nosso elemental pessoal da água desempenha funções importantes no tocante à circulação dos fluidos corporais, tais como o sangue e a linfa. As enfermidades sangüíneas contaminam as ondinas, e atam-nas, contra sua vontade, ao karma e aos efeitos indesejáveis da enfermidade.

Sempre que abusamos de nossos corpos, abusamos também das ondinas, pois, uma vez designadas para acompanhar um ser humano, são obrigadas a sentir esses efeitos negativos, inclusive porque dependem de nós para o seu crescimento e só evoluem à medida que também o fazemos. A conexão insatisfatória com nossa ondina pessoal e demais seres do reino das águas gera distúrbios psicológicos, emocionais e até psíquicos. A compaixão faz-se ausente. Deixamos de confiar em nossa intuição e desenvolvemos um medo desenfreado da dor. Pode não acarretar a total perda da sensibilidade, mas no fará parecer frios aos olhos alheios. A falta de simpatia, de empatia e de amor à vida invariavelmente refletem falta de entrosamento com as ondinas e demais espíritos desse elemento, os quais dirigem nossa atividade emocional.
A ruptura com esse equilíbrio harmônico aumenta a presença de toxinas no organismo, pois o elemento água já não flui livremente para desempenhar sua função purificadora.

Por outro lado, uma ligação exagerada com tais elementais pode nos afogar emocionalmente, tornando-nos contraditórios nos sentimentos. A retenção de água no organismo é um bom indício físico de que isto está acontecendo. Quando tal ocorre, passamos a maior parte do tempo concentrados em nossos pensamentos.
A imaginação torna-se pronunciadíssima e evidencia-se nas ações uma tendência ao extremismo.
O excesso do elemento água nos torna compulsivamente passionais, além de gerar exagerada sensualidade, medo e isolamento. Passamos a dedicar grande parte do tempo a anseios e delírios emocionais, em detrimento de ações concretas. Disso resulta uma acentuada sensação de vulnerabilidade.

Por intermédio de nossa ondina pessoal, entramos em contato com os sentimentos e emoções mais profundas do nosso ser e despertamos para a unicidade da criação.
Elas nutrem nossa capacidade de sustento e suprimento, e descortinam diante de nós um vasto oceano emocional onde podemos encontrar compaixão curativa e intuição. Em razão de sua natureza fluídica, a melhor maneira de controlar as ondinas é por meio da firmeza.

Além de dominar os rios, mares e lagos, as ondinas ou elementais da Água trabalham com as essências e líquidos vitais existêntes em plantas, animais e seres
humanos. Algumas habitam as cascatas e podem ser vistas totalmente imóveis em meio à corrente ou saltando alegremente na espuma produzida pelas quedas d'água. Há as que dominam os rios e lagos, e as que preferem os pãntanos e lodaçais para estabelecer sua morada.
Mas, seja qual for o lugar onde vivem, as ondinas são sempre muito bonitas e sentem uma grande simpatia pelo ser humano. Certas lendas afirmam até que elas podem viver algum tempo entre os homens, embora acabem sempre cedendo ao chamado das águas e retornando para os rios ou para o mar.
Aliás, muitas ondinas têm urna estatura semelhante a dos humanos, como as sereias citadas nas lendas de vários países. Mas há também ondinas menores, como as que habitam riachos e fontes,
e outras muito diminutas, que vivem nas folhas flutuantes dos lírios e em minúsculas casas feitas nos musgos criados pelas quedas d'água. São os seguintes os tjpos mais conhecidos de ondinas:


Sereias

Uma das figuras que mais influenciaram a mitologia, as sereias têm um
aspecto bem conhecido: metade do corpo lembra uma mulher, metade lembra um peixe. Algumas enfeitam-se com grinaldas luminosas e gostam de cantar um canto suave e lírico.

Dama Branca

Uma das ondinas mais admiradas pelos estudiosos dos elementais, essa ondina aparece como urna mulher esguia e bela, envolta por um vestido longo e diáfano, e de estatura semelhante a dos humanos.


Bebês-D'Água

Esse é um tipo muito curioso de ondina, os bebês-d'água têm esse nome porque realmente parecem bebês gordos e rechonchudos. Essas ondinas especiais têm o poder de recarregar nossas energias.


Salamandras (Elementais do Fogo)


As salamandras se encontram por toda parte. Nenhum fogo é aceso sem o seu auxílio.
Sua atividade é intensa no subsolo e no interior do organismo e da mente.

São responsáveis pela iluminação, pelo calor, pelas explosões e pelo funcionamento dos vulcões.

Não se deve confundi-las com os homônimos anfíbios, tipo lagartos do plano físico. Foram os movimentos serpente antes desses elementais no interior das labaredas de fogo, semelhantes aos movimentos sinuosos das caudas dos lagartos e lagartixas, que lhes valeram esse curioso nome.
Porém, essa é a única relação entre eles e o animal.

As salamandras despertam poderosas correntes emocionais no homem.
Alimentam os fogos do idealismo espiritual e da percepção. Sua energia auxiliar a demolição do que é velho e a edificação do novo.
Isto porque o fogo tanto pode ser destrutivo quanto criativo em suas formas de expressão.

Os elementais do fogo trabalham com o homem e com o mundo por intermédio do calor, do fogo e das chamas, quer se trate da chama de uma vela, das chamas etéreas ou da própria luz solar.
São incrivelmente eficientes nos trabalhos de cura, pois ajudam a desintoxicar o organismo, sobretudo nas situações críticas. Mas devem ser empregadas com muita cautela, pois suas energias radiantes são dificílimas de controlar. De modo geral, encontram-se sempre presentes quando a cura está para se manifestar.

Os elementais do fogo colaboram imensamente para a preservação de nosso corpo espiritual.
A energia irradiada pelas salamandras ao nosso corpo espiritual perpassa todos os planos até atingir o corpo físico. Elas intensificam a espiritualidade elevada, a fé e o entusiasmo.
Colorem nossa percepção e ampliam o discernimento espiritual para que ele sobrepuje o psiquismo inferior.

Uma salamandra foi designada para acompanhar cada um de nós ao longo dessa existência.
Ela contribui para o bom funcionamento do corpo físico, a manutenção da temperatura corporal adequada, estimula o metabolismo orgânico para a continuidade da boa saúde e auxiliar a circulação.
O metabolismo lento é indício de uma atividade relaxada das salamandras.
Já o metabolismo acelerado pressupõe uma atividade exacerbada dos seres e espíritos do fogo.

Uma boa conexão e relacionamento com nossa salamandra pessoal estimula a vitalidade e a franqueza.
Elas nos ajudam a desenvolver vontade própria e firmeza, além de impulsionar fortes correntes espirituais positivas e bem-determinadas. Fomentam o sentido de auto- estima, mantêm as aspirações em alta e nos impulsionam a uma atuação marcante no cenário da vida.

A fraca ligação com nosso elemental pessoal e demais espíritos do fogo configura-se como falta de ânimo, esmorecimento em relação à vida, falta de fé e crescente senso de pessimismo. Por outro lado, a proximidade demasiado intensa com estes elementais e outros do reino pode acarretar falta de
autocontrole e de sensibilidade. Haverá tendência à irrequietude e a um excesso de atividade que
pode levar a um desgaste do ser. A falta de paciência também é reflexo da influência excessiva desse elemento.

De todos os elementais, as salamandras são os mais difíceis de compreender e aqueles com os quais a harmonização é mais complexa. A melhor forma de controlá-los é agir serenamente. Podemos controlar nosso fogo interior por meio da calma e de uma postura tranqüila e satisfeita em relação à vida.
Em outros termos, significa aceitar a existência como ela é, aqui e agora.

Além de serem agentes primordiais da natureza, as salamandras adoram a música e sentem-se fortemente atraídas por ela, sobretudo quando está sendo composta.
Suas energias são vibrantes.
Controlá-las e direcioná-las de modo a produzir resultados positivos requer tamanha habilidade.
Recomenda-se a todo compositor, poeta ou qualquer um que exerça atividade criativa, que procure cultivar uma melhor sintonia com as salamandras






Unicórnio (Espíritos Da Natureza)



O unicórnio é um ser selvagem, que habita jardins, sem lugar específico.
Em função de suas viagens eles precisam descansar e para isso eles procuram um lugar escondido onde não haja perigo. Tomam água corrente e comem frutas e grãos maduros ou folhas tenras dessas árvores.

Símbolo da pureza, esperança, amor, majestade, poder, honestidade, liberdade e de tudo de bom que há no ser humano. É um ser selvagem e indomesticável, muitos acreditam que apenas uma virgem pode domesticar o unicórnio, deixando-o indefeso aos caçadores. É rápido, forte e que habita jardins sem lugar específico. Em função de suas viagens eles precisam descansar e para isso eles procuram um lugar escondido onde não haja perigo.
Tomam água corrente e comem frutas e grãos maduros ou folhas tenras dessas árvores. A duração do Unicórnio na Terra é muito maior que o do Homem.


A Lenda


O primeiro unicórnio chegou embrulhado em uma nuvem, impelida por um vórtice branco.
Desceu com suavidade dos céus aos campos infantis da Terra. Dotado de um chifre de luz em espiral.
Com seu chifre penetrou uma pedra, e uma fonte de vida brotou. A Terra começou a ser fecundada com coisas frutíferas. Grandes árvores floresceram; e abaixo em suas sombras foram povoadas com bestas selvagens. Tudo isso era intenção de Deus, e o Unicórnio, o instrumento de seu querer.
Deste modo se forma o Jardim do Unicórnio, é chamado Shamagim que quer dizer Lugar onde há Água.
Deus fala ao Unicórnio então: " Unicórnio! Você será, entre todas minhas criações, a que em memória permanente da Luz, será seu guia e guardião. Mas você nunca devolverá a Luz até o final do Tempo".



Como Surgiu a Lenda?


O unicórnio surgiu da mitologia oriental, grega e romana, também é mencionado na bíblia [Salmo 22:21], [Salmo 29:6] e [Salmo 92:10]. Seu nome vem de duas palavras do latim: "unus" que significa um e "cornu" que significa chifre.

O Chifre - É um talismã de poder soberano, mas sua força e virtude só serão ativadas através de um trabalho de um Unicórnio. Sua luz diminuirá até se extinguir quando nas mãos de outro. No Chifre reside a história total do Unicórnio e também é o recipiente de seus pensamentos. Muitos acreditam que ele tem poder de cura e que é ser um antídoto para veneno. A forma deles é um espiral: os dois meios, ou flautas, são unidos um ao outro. Em horas de perigo ou de concentração prolongada o Chifre pode exalar certo brilho ou um esplendor suave. Para a proteção do unicórnio, não podemos ver o seu chifre, ou seja, com isso, o unicórnio é confundido com um simples cavalo.

O Unicórnio - Um Símbolo De Excelência

O Unicórnio é um extraordinário animal mitológico, notável pela sua anatomia e habilidade.
A verdadeira força do Unicórnio reside no seu único chifre, ao qual a crença popular atribuía poderes mágicos de cura. Na época medieval, o chifre pulverizado era usado para curar picadas ou mordidas venenosas, ataques de vermes, perda de memória e muitas outras moléstias. Tão arraigada era a crença no poder mágico do Unicórnio, que o chifre pulverizado continuou a ser utilizado por farmacêuticos até o Século XVIII.

Dizia-se que o chifre propriamente dito, cobria-se de suor quando colocado junto de alimentos envenenados, sendo usado como detector de veneno em cerimônias de cortes européias, até 1789.

É um ser selvagem, que habita jardins, sem lugar específico. Em função de suas viagens eles precisam descansar e para isso eles procuram um lugar escondido onde não haja perigo. Tomam água corrente e comem frutas e grãos maduros ou folhas tenras dessas árvores.

A duração do Unicórnio na Terra é muito maior que o do Homem.



Read More

28 agosto 2009

O Cérebro, ómega-3 e exercício físico. Impacto e desempenho.


Já quase todos sabemos o impacto dos desequilíbrios nutricionais na nossa saúde, mais especificamente a importância do ómega-3, mas segundo alguns estudos recentes a nutrição tem também impacto sobre a nossa saúde e capacidade do cérebro.


Segundo um estudo recente do Dr. Fernando Gómez-Pinilla, professor de neurocirurgia e ciências fisiológicas da Universidade da Califórnia (UCLA), que passou os últimos anos a estudar os efeitos da alimentação, exercício físico e sono sobre o cérebro.



"A dieta, exercício físico e sono têm o potencial de alterar as funções do nosso cérebro e a saúde mental. Isto levanta a possibilidade de que mudanças radicais na dieta pode ser uma estratégia viável para melhorar a capacidade cognitiva, proteger o cérebro de danos e contrariar os efeitos do envelhecimento" - Dr. Fernando Gómez-Pinilla, membro da UCLA Brain Research Institute and Brain Injury Research Center.


O Dr. Gómez analisou mais de 160 estudos sobre a o impacto que a alimentação tem sobre o cérebro e os resultados da sua análise pode ser lida no jornal Nature Reviews Neuroscience.


Uma das conclusões refere a importância dos ácidos gordos ómega-3 encontrados no salmão, nozes e kiwi. O ómega-3 contribui com alguns benefícios para o nosso cérebro, incluindo melhorias de aprendizagem, uma melhor memória, ajuda a combater alguns transtornos mentais como a depressão, transtornos de humor, esquizofrenia, e demência.


Segundo o Dr. Gómez as sinapses no cérebro ligam os neurónios e proporcionam algumas funções essenciais, a aprendizagem e a memória ocorre a nível das sinapses. Os ácidos gordos ómega-3 apoiam a plasticidade sináptica que parece afectar positivamente a função de algumas moléculas relacionadas com a aprendizagem e com a memória.



"Os ácidos gordos ómega-3 são essenciais para um normal funcionamento do cérebro" - Dr. Fernando Gómez-Pinilla


Uma deficiência nutricional em ómega-3 nos humanos tem vindo a ser associado a um aumento do risco de algumas desordens mentais, tal como deficit de atenção, dislexia, demência, depressão, doença bipolar e esquizofrenia.


Segundo alguns estudos as crianças que ingerem uma dose adequada de ácidos gordos ómega-3 têm melhores resultados na escola, na leitura, na ortografia e têm menos problemas comportamentais.


Além do ómega-3 também o ácido fólico que é encontrado nos espinafres, sumo da laranja e levedura é também essencial para o funcionamento do cérebro humano. Uma deficiência em ácido fólico pode originar distúrbios neurológicos, tais como a depressão e disfunções cognitivas. A suplementação de ácido fólico, quer por si só ou em conjunto com outras vitaminas do tipo B, tem-se revelado eficaz na prevenção do declínio cognitivo e demência durante o envelhecimento e reforça os efeitos de antidepressivos.



Os resultados de um estudo recente indicam que a suplementação de ácido fólico num período de três anos pode ajudar a reduzir os efeitos da idade nas funções cognitivas.


Em contraste com os benefícios de uma nutrição equilibrada, a comida rápida ou comida de plástico têm efeitos negativos nas funções sinápticas do cérebro. Algumas moléculas e a função sináptica do cérebro são extremamente afectadas por uma dieta pouco saudável.


Na ilha de Okinawa (Japão) onde as pessoas comem peixe e praticam exercício físico com bastante frequência a esperança de vida é a maior em todo o mundo e a população tem também uma baixíssima taxa de distúrbios mentais.



"Embora algumas pessoas tenham tido a sorte de ter nascido com genes especiais, a grande maioria de nós não tem essa sorte, portanto precisamos de uma dieta equilibrada, praticar exercício físico com regularidade e de uma boa noite de sono" - Dr. Fernando Gómez-Pinilla


Tem o hábito de fazer escolhas saudáveis, no que à sua alimentação diz respeito ? Consome diariamente a quantidade indicada de ómega-3? E exercício físico com regularidade ? Se não o fizer pelo seu corpo, faça-o pelo seu cérebro. Deixe a sua opinião nos comentários.


O Cérebro, ómega-3 e exercício físico. Impacto e desempenho.


OLHE TAMBEM ESTE BLOG:
cinema cuspido


Read More

26 agosto 2009

Ioga Esotérica



Read More

Um fantasma no elevador!


Imagens de uma câmera de segurança num Cassino em Macau.

Read More

23 agosto 2009

Arquivos de Ovnis perdidos


O mistério da vida pode ser resumido em poucas palavras: "O universo é como um cofre para o qual existe uma combinação, mas essa combinação está trancada dentro do cofre (Peter de Vries)". Série da History Channel - Caçadores de Ovnis em 5 partes:


Parte 1




Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5



Read More

RITUAIS COM VELAS


Vela branca: Se o pessoal na sua casa, ou mesmo a sua namorada, deu para discutir a troco de nada, peça ao seu anjo que a harmonia volte a reinar entre vocês.


Vela azul: Acenda-a quando quiser fazer um pedido relacionado a trabalho.


Vela amarela: Simboliza a alegria de viver, o alto - astral. Dizem que tem o poder de agilizar a inteligência e a facilidade de aprender. Utilíssima em épocas de prova e vestibular.


Vela rosa: Amor, muito amor. A cor, relacionada ao planeta Vênus, é a ideal para quem quer encontrar sua alma gêmea.


Vela verde: Vai trazer tranqüilidade e acabar com as tensões. Se alguém ou você mesmo estiver com uma gripe danada, acenda uma vela verde e peça ao seu anjo da guarda que a ajude na cura.


Vela violeta ou lilás: Essa cor é muito boa para mudar os sentimentos negativos em positivos.


Vela vermelha:Uma boa pedida para quem está meio deprimida, sem ânimo para nada. O vermelho simboliza o dinamismo, a força e a coragem.



Read More