20 dezembro 2010

Descubra o efeito das cores em sua mente



Um novo estudo da University of British Columbia esclarece um debate que vem sendo travado há tempos por psicólogos e publicitários - que cor torna o cliente mais receptivo à propaganda? Azul ou vermelho?


Aparentemente, ambas as cores podem produzir o efeito. Tudo depende da mensagem que a propaganda deseja passar. O estudo, que pode ter, também, um impacto significativo em design de interiores, diz que o vermelho deve ser usado para atrair a atenção do consUmidor a detalhes. O azul, por sua vez, estimula a criatividade.

"Tanto o azul como o vermelho foram considerados capazes de aumentar a capacidade cognitiva, em estudos anteriores" explica Juliet Zhu, professora da faculdade de administração da University of British Columbia. "No entanto, não podíamos dizer qual proporcionava um efeito maior. Agora sabemos que depende da mensagem que queremos passar" completa.

O estudo realizou testes cognitivos em 600 voluntários. Perguntas eram feitas em computadores - e a tela de fundo do programa era azul, vermelha ou branca.

O vermelho apresentou mais resultados positivos em tarefas que exigiam atenção a pequenos detalhes, ou uma leitura mais minuciosa (comparado com o azul, 31% a mais de acertos). Já o azul proporcionou mais acertos em situações que exigiam brainstorming, demonstrações de criatividade - usuários da tela azul tinham redações muito mais criativas do que os de tela vermelha.

"Graças a sinais de trânsito, ambulâncias e às canetas vermelhas dos professores, associamos essa cor a perigo, necessidade de atenção. Tomamos mais cuidado antes de responder algo, quando estamos expostos ao vermelho. Nos tornamos mais vigilantes" afirma Zhu.

"O azul é associado ao céu, ao oceano e à água. Sendo assim, as pessoas relacionam a cor à calma e à amplitude. O azul nos auxilia a deixar o óbvio e buscar soluções criativas" explica a professora.

Para estudar o impacto que essas descobertas têm na publicidade, os pesquisadores utilizaram uma série de propagandas e produtos fictícios, coloridos, e viram quais eram as reações dos consumidores diante deles. Os resultados foram impressionantes e confirmaram o que foi concluído das pesquisas anteriores.

Se o produto for uma pasta de dente, por exemplo, a cor vermelha na embalagem deixa as pessoas atentas para a especificação do produto - se ele é usado para combater cáries, placa, gengivite. Quando o azul era a cor predominante da embalagem, os voluntários ficavam mais atentos à questões estéticas, como clareamento dental e refrescância.


Bônus:


Branco

Decoração: Um ambiente todo branco, para algumas pessoas, pode trazer prazer e calma, e para outras, frieza, tristeza e impessoalidade. O branco nos passa também uma sensação de limpeza, até exagerada. O branco só é branco, quando recebe uma luz intensa direta.
Cromoterapia : Ela potencializa as demais cores. Representa a luz divina.
Feng Shui: É uma cor neutra, que pode ser usada em qualquer ambiente. Muito cuidado quando o branco aparece em demasia em um ambiente, pois nos passa uma sensação de infinito, frieza, vazio e hostilidade. Deve-se quebrar o branco com quadros e móveis bem coloridos.


Preto - Cinza

Decoração: É usado em pequenos detalhes, principalmente quando queremos fazer um "efeito especial", tanto dentro, como fora da casa. Ainda na área interna, é usado para fazer contrastes, principalmente com o branco. Muito usado no teto com pé direito muito alto, para dar a sensação de rebaixo.
Cromoterapia: É o oposto da luz, a escuridão total.
Feng Shui: É opressivo e depressivo. Representa o elemento água e deve se usar com muito cuidado. Em geral, é usado em pequenos detalhes na casa.


Verde

Decoração: É uma cor muito usada. No chão, nos lembra a natureza. Não incide muita luz, mantendo a cor original. Em locais abertos, complementa madeira e jardins.
Cromoterapia: É a cor da natureza, traz força equilibrada e progresso mental e corporal. Acalma o sistema nervoso e os sentidos. Também significa esperança e satisfação.
Feng Shui: É uma cor neutra que representa o elemento madeira. Muito cuidado em usar a cor verde em locais que predomina o vermelho, pois teremos um local muito quente. Deve-se usar nos banheiros para elevar a energia deste local. Para casas que abrigam pessoas com problemas de saúde, o verde é uma ótima opção.


Lilás - Violeta

Decoração: Tons mais claros podem ser usados em todos os ambientes. Se for uma cor monocromática, pode cansar.
Cromoterapia: Tem efeito purificador, tranforma as energias negativas em positivas. Ótimo para a saúde. Acalma o coração, a mente e os nervos.
Feng Shui: Traz tranquilidade, sossego e calma. Estimula a espiritualidade. Nas casas, deve ser aplicado em locais de meditação e oração. Em excesso, pode trazer depressão e ansiedade.


Laranja

Decoração: Inconscientemente, lembra sabores agradáveis, sendo muito usado em cozinhas. Abre e estimula o apetite. Pode ser usado na sala de jantar, em uma só parede, em tons bem suaves. Em tons mais escuros, sugere estabilidade.
Cromoterapia: Auxilia a mente a assimila novas idéias, mas deve ser usado com certo cuidado.
Feng Shui: Em pequenas doses, estimula os sentidos, a criatividade e a comunicação. Boa para áreas da casa que quer se estimular o diálogo, como sala de visitas, de jantar e cozinhas. Em excesso, pode provocar conversas demais e até rebeldia.


Amarelo

Decoração: É muito usado para esquentar áreas escuras e para dar mais iluminação. Em pisos, provoca sensação de avanço. Em grandes áreas e superfícies, pode incomodar por causa da incidência de luz.
Cromoterapia: É uma cor que atua diretamente sobre o mental. É animador, inspirador e estimula o raciocínio. Ajuda no auto-controle. Fortalece os ouvidos e os olhos.
Feng Shui: É a cor da luz. Estimula a comunicação, atividades mentais e abre o apetite. Deve ser usado no quarto de estudo ou na criança. Na cozinha, em doses equilibradas. Em excesso, provoca muita conversa e pensamentos acelerados e confusos, provocando preocupação.

Vi no Paraná Online / hypescience.com/
Fonte Bônus Blog da Adri


Read More

19 dezembro 2010

Simpatia Para não faltar dinheiro no Natal




Na véspera do Natal (24 de dezembro), ao meio-dia em ponto, ponha em sua árvore de natal quatro moedas de mesmo valor.


Ajoelhe em frente à árvore, reze quatro pais-nossos e quatro ave-marias com uma vela branca acesa em sua mão direita.




Peça a todos os santos muita fartura, saúde, prosperidade e trabalho no ano que está prestes a começar.

Deixe a vela próxima à árvore (mas não perto demais por causa do risco de incêndio) e a deixe queimar até o fim.


As moedas devem permanecer na árvore durante toda a semana seguinte.


Na véspera do Ano Novo (31 de dezembro), coloque cada uma dessa moedas nos quatro cantos da casa, onde devem permanecer até o dia 20 de janeiro do novo ano.

Então, guarde-as em qualquer lugar da casa.




Read More

12 dezembro 2010

A história do dia da criança e da Padroeira do Brasil


cri1 O Dia das Crianças no Brasil foi criado por um político, na década de 1920. O Deputado Federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia em homenagem às crianças. Os deputados aprovaram a idéia e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, através do Decreto nº4.867, de 5 de novembro de 1924. Mas, somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela decidiu fazer uma promoção em conjunto com a Johnson & Johnson, para aumentar suas vendas, lançando a "Semana do Bebê Robusto", é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu tão certo, que desde então o dia das Crianças passou a ser comemorado com muitos presentes!



Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. Só a partir dai o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.


NSraAparecida1[2][7] Dia de Nossa Senhora Aparecida 12 de outubro


Juntamente com o dia da criança, 12 de outubro é o dia da Padroeira do Brasil, o dia de Nossa Senhora de Aparecida. A sua história tem o seu início em meados de 1717, quando chegou a Guaratinguetá a notícia de que o conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, governador da então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, iria passar pela povoação a caminho de Vila Rica (atual cidade de Ouro Preto), em Minas Gerais.


Desejosos de obsequiá-lo com o melhor pescado que obtivessem, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves lançaram as suas redes no rio Paraíba do Sul. Depois de muitas tentativas infrutíferas, descendo o curso do rio chegaram a Porto Itaguaçu, a 12 de Outubro. já sem esperança, João Alves lançou a sua rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. Em nova tentativa apanhou a cabeça da imagem. Envolveram o achado em um lenço e, animados pelo acontecido, lançaram novamente as redes com tanto êxito que que obtiveram copiosa pesca.


--------------------------------------------------------------------------------


Dia Universal da Criança


Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, data que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece como dia Universal das Crianças por ser quando se comemora a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças.


Declaração Universal dos Direitos das Crianças


UNICEF - 20 de Novembro de 1959


As Crianças têm Direitos


Direito à Igualdade, sem Distinção de Raça Religião ou Nacionalidade


Princípio I


A criança desfrutará de todos os direitos enunciados nesta Declaração. Estes direitos serão outorgados a todas as crianças, sem qualquer exceção, distinção ou discriminação por motivos de raça, cor, sexo, idioma, religião, opiniões políticas ou de outra natureza, nacionalidade ou origem social, posição econômica, nascimento ou outra condição, seja inerente à própria criança ou à sua família.


Direito a Especial Proteção para o seu Desenvolvimento Físico, Mental e Social


Princípio II


A criança gozará de proteção especial e disporá de oportunidade e serviços, a serem estabelecidos em lei por outros meios, de modo que possa desenvolver-se física, mental, moral, espiritual e socialmente de forma saudável e normal, assim como em condições de liberdade e dignidade. Ao promulgar leis com este fim, a consideração fundamental a que se atenderá será o interesse superior da criança.


Direito a um Nome e a uma Nacionalidade


Princípio III


A criança tem direito, desde o seu nascimento, a um nome e a uma nacionalidade.


Direito à Alimentação, Moradia e Assistência Médica Adequadas para a Criança e a Mãe


Princípio IV


A criança deve gozar dos benefícios da previdência social. Terá direito a crescer e desenvolver-se em boa saúde; para essa finalidade deverão ser proporcionados, tanto a ela, quanto à sua mãe, cuidados especiais, incluindo-se a alimentação pré e pós-natal. A criança terá direito a desfrutar de alimentação, moradia, lazer e serviços médicos adequados.


Direito à Educação e a Cuidados Especiais para a Criança Física ou Mentalmente Deficiente


Princípio V


A criança física ou mentalmente deficiente ou aquela que sofre da algum impedimento social deve receber o tratamento, a educação e os cuidados especiais que requeira o seu caso particular.


Direito ao Amor e à Compreensão por Parte dos Pais e da Sociedade


Princípio VI


A criança necessita de amor e compreensão, para o desenvolvimento pleno e harmonioso de sua personalidade; sempre que possível, deverá crescer com o amparo e sob a responsabilidade de seus pais, mas, em qualquer caso, em um ambiente de afeto e segurança moral e material; salvo circunstâncias excepcionais, não se deverá separar a criança de tenra idade de sua mãe. A sociedade e as autoridades públicas terão a obrigação de cuidar especialmente do menor abandonado ou daqueles que careçam de meios adequados de subsistência. Convém que se concedam subsídios governamentais, ou de outra espécie, para a manutenção dos filhos de famílias numerosas.


Direito à Educação Gratuita e ao Lazer Infantil


Princípio VII


A criança tem direito a receber educação escolar, a qual será gratuita e obrigatória, ao menos nas etapas elementares. Dar-se-á à criança uma educação que favoreça sua cultura geral e lhe permita - em condições de igualdade de oportunidades - desenvolver suas aptidões e sua individualidade, seu senso de responsabilidade social e moral. Chegando a ser um membro útil à sociedade.
O interesse superior da criança deverá ser o interesse diretor daqueles que têm a responsabilidade por sua educação e orientação; tal responsabilidade incumbe, em primeira instância, a seus pais.
A criança deve desfrutar plenamente de jogos e brincadeiras os quais deverão estar dirigidos para educação; a sociedade e as autoridades públicas se esforçarão para promover o exercício deste direito.


Direito a ser Socorrido em Primeiro Lugar, em Caso de Catástrofes


Princípio VIII


A criança deve - em todas as circunstâncias - figurar entre os primeiros a receber proteção e auxílio.


Direito a ser Protegido Contra o Abandono e a Exploração no Trabalho


Princípio IX


A criança deve ser protegida contra toda forma de abandono, crueldade e exploração. Não será objeto de nenhum tipo de tráfico. Não se deverá permitir que a criança trabalhe antes de uma idade mínima adequada; em caso algum será permitido que a criança dedique-se, ou a ela se imponha, qualquer ocupação ou emprego que possa prejudicar sua saúde ou sua educação, ou impedir seu desenvolvimento físico, mental ou moral.


Direito a Crescer Dentro de um Espírito de Solidariedade, Compreensão, Amizade e Justiça entre os Povos


Princípio X


A criança deve ser protegida contra as práticas que possam fomentar a discriminação racial, religiosa, ou de qualquer outra índole. Deve ser educada dentro de um espírito de compreensão, tolerância, amizade entre os povos, paz e fraternidade universais e com plena consciência de que deve consagrar suas energias e aptidões ao serviço de seus semelhantes.


Read More

03 dezembro 2010

Qual a Origem da Ceia de Natal?


eia é uma reunião festiva entre os familiares e amigos para se comemorar algum evento importante. A ceia natalina é uma reunião ainda mais familiar, íntima e carinhosa, quando afloram nos corações das pessoas os sentimentos mais variados.


Haverá a alegria do encontro, a saudade de quem partiu, a presença de um novo membro, mesclando emoções diversas, pois todos ficam predispostos a se entregar afetivamente, trazendo a mensagem de que Cristo quer renascer no coração de cada um de nós. A tradição nos conta que após a Missa do Galo, celebrada à meia-noite do dia 24, era servida uma refeição frugal aos presentes.


Com o passar do tempo essa refeição foi transferida para as casas dos fiéis e tornou-se mais sofisticada. Iguarias deliciosas, assados, bolos, pudins, passas, nozes, castanhas, tâmaras, frutas cristalizadas… se tornaram indispensáveis. Na ceia natalina não falta uma vela acesa, nos lembrando a fé das pessoas em Jesus Cristo, que continua brilhando através dos tempos.


Read More

01 dezembro 2010

A origem do Natal



papppainoel O Natal é uma adaptação católica de antigas festas pagãs. Estas festas eram promovidas por culturas ancestrais para comemorar o solstício de inverno e trazer boa sorte na agricultura. O solstício de inverno (verão no hemisfério sul) é a noite mais longa do hemisfério norte, e acontece no final de dezembro. Depois do solstício, o sol vai gradativamente aumentando seu tempo de exposição no céu. A celebração do solstício é atribuída a épocas anteriores ao nascimento de Cristo. Na antiguidade, significava uma virada das sombras para a luz - o renascimento do sol.



O costume foi adotado pelos gregos e, logo em seguida, pelos romanos, que perpetuaram a tradição através das Saturnálias, realizadas entre os dias 17 de dezembro e 1º de janeiro. Os persas, por sua vez, comemoravam, neste período, o nascimento de Mitra, Deus do Sol. Os persas acreditavam que um pequeno sol nascia sobre a forma de um bebê, comemorando em 25 de dezembro o Dia do Nascimento do Sol Invicto.


Grandes jantares e árvores verdes ornamentadas enfeitavam átrios para espantar os maus espíritos da escuridão, e presentes de bom agouro eram ofertados aos amigos.
No Egito, celebrava-se a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos. Povos antigos da Grã-Bretanha também comemoravam o evento. As festividades aconteciam ao redor do monumento de Stonehenge, construído em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano. A construção existe até hoje.
Até os primeiros três séculos da era cristã, a humanidade não celebrava o Natal como conhecemos hoje. Foi preciso que o Império Romano adotasse o cristianismo como religião oficial, no século IV. A partir desse momento, a Igreja passou a conferir significados católicos para as tradições e os simbolismos pagãos. Foi a apropriação destes cultos, sobretudo o de Mitra, que acabou gerando o nosso Natal, com a data de nascimento de Cristo sendo celebrada no dia 25 de dezembro.


Reprodução do site: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/pwnatal/default.php?p_secao=3


Read More

30 novembro 2010

Simpatia Para pedir Proteção a Santa Bárbara


No Dia de Santa Bárbara, 04 de dezembro, em dois pedaços de fita vermelha e branca, escreva o seu nome e o da santa, amarre no pulso esquerdo e diga:



"Ó, Santa Bárbara, protetora contra os raios e temporais, fica sempre ao meu lado para que eu possa enfrentar todas as tempestades e batalhas de minha vida, para que, vencedor de todas as lutas, eu possa te agradecer e dar graças a Deus, Criador do céu, da terra e da natureza. Santa Bárbara, rogai por nós. Amém".



Read More

O Significado do Natal


O Natal surge como o aniversário do nascimento de Jesus Cristo, Filho de Deus, sendo atualmente uma das festas católicas mais importantes.


Inicialmente, a Igreja Católica não comemorava o Natal. Foi em meados do século IV d.C. que se começou a festejar o nascimento do Menino Jesus, tendo o Papa Júlio I fixado a data no dia 25 de Dezembro, já que se desconhece a verdadeira data do Seu nascimento.



Uma das explicações para a escolha do dia 25 de dezembro como sendo o dia de Natal prende-se como facto de esta data coincidir com a Saturnália dos romanos e com as festas germânicas e célticas do Solstício de Inverno, sendo todas estas festividades pagãs, a Igreja viu aqui uma oportunidade de cristianizar a data, colocando em segundo plano a sua conotação pagã. Algumas zonas optaram por festejar o acontecimento em 6 de Janeiro, contudo, gradualmente esta data foi sendo associada à chegada dos Reis Magos e não ao nascimento de Jesus Cristo.


O Natal é, assim, dedicado pelos cristãos a Cristo, que é o verdadeiro Sol de Justiça (Mateus 17,2; Apocalipse 1,16), e transformou-se numa das festividades centrais da Igreja, equiparada desde cedo à Páscoa.


Apesar de ser uma festa cristã, o Natal, com o passar do tempo, converteu-se numa festa familiar com tradições pagãs, em parte germânicas e em parte romanas.


Sob influência franciscana, espalhou-se, a partir de 1233, o costume de, em toda a cristandade, se construírem presépios, já que estes reconstituíam a cena do nascimento de Jesus. A árvore de Natal surge no século XVI, sendo enfeitada com luzes símbolo de Cristo, Luz do Mundo. Uma outra tradição de Natal é a troca de presentes, que são dados pelo Pai Natal ou pelo Menino Jesus, dependendo da tradição de cada país.


Apesar de todas estas tradições serem importantes (o Natal já nem pareceria Natal se não as cumpríssemos), a verdade é que não nos podemos esquecer que o verdadeiro significado de Natal prende-se com o nascimento de Cristo, que veio ao Mundo com um único propósito: o de justificar os nossos pecados através da sua própria morte. Nesses tempos, sempre que alguém pecava e desejava obter o perdão divino, oferecia um cordeiro em forma de sacrifício. Então, Deus enviou Jesus Cristo que, como um cordeiro sem pecados, veio ao mundo para limpar os pecados de toda a Humanidade através da Sua morte, para que um dia possamos alcançar a vida eterna, por intermédio Dele, Cristo, Filho de Deus.


Assim, não se esqueçam que o Natal não se resume a bonitas decorações e a presentes, pois a sua essência é o festejo do nascimento Daquele que deu a Sua vida por nós, Jesus Cristo.


Árvore de Natal


Antecedentes


A Árvore de Natal é um pinheiro ou abeto, enfeitado e iluminado, especialmente nas casas particulares, na noite de Natal.


A tradição da Árvore de Natal tem raízes muito mais longínquas do que o próprio Natal.


Os romanos enfeitavam árvores em honra de Saturno, deus da agricultura, mais ou menos na mesma época em que hoje preparamos a Árvore de Natal. Os egípcios traziam galhos verdes de palmeiras para dentro de suas casa no dia mais curto do ano (que é em Dezembro), como símbolo de triunfo da vida sobre a morte. Nas culturas célticas, os druidas tinham o costume de decorar velhos carvalhos com maças douradas para festividades também celebradas na mesma época do ano.


Segundo a tradição, S. Bonifácio, no século VII, pregava na Turíngia (uma região da Alemanha) e usava o perfil triangular dos abetos com símbolo da Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo). Assim, o carvalho, até então considerado como símbolo divino, foi substituído pelo triangular abeto.


Na Europa Central, no século XII, penduravam-se árvores com o ápice para baixo em resultado da mesma simbologia triangular da Santíssima Trindade.


Árvore de Natal como hoje a conhecemos


A primeira referência a uma "Árvore de Natal" surgiu no século XVI e foi nesta altura que ela se vulgarizou na Europa Central, há notícias de árvores de Natal na Lituânia em 1510.


Diz-se que foi Lutero (1483-1546), autor da reforma protestante, que após um passeio, pela floresta no Inverno, numa noite de céu limpo e de estrelas brilhantes trouxe essa imagem à família sob a forma de Árvore de Natal, com uma estrela brilhante no topo e decorada com velas, isto porque para ele o céu devia ter estado assim no dia do nascimento do Menino Jesus.


O costume começou a enraizar-se. Na Alemanha, as famílias, ricas e pobres, decoravam as suas árvores com frutos, doces e flores de papel (as flores vermelhas representavam o conhecimento e as brancas representavam a inocência). Isto permitiu que surgisse uma indústria de decorações de Natal, em que a Turíngia se especializou.


No início do século XVII, a Grã-bretanha começou a importar da Alemanha a tradição da Árvore de Natal pelas mãos dos monarcas de Hannover. Contudo a tradição só se consolidou nas Ilhas Britânicas após a publicação pela "Illustrated London News", de uma imagem da Rainha Vitória e Alberto com os seus filhos, junto à Árvore de Natal no castelo de Windsor, no Natal de 1846.


Esta tradição espalhou-se por toda a Europa e chegou aos EUA aquando da guerra da independência pelas mãos dos soldados alemães. A tradição não se consolidou uniformemente dada a divergência de povos e culturas. Contudo, em 1856, a Casa Branca foi enfeitada com uma árvore de Natal e a tradição mantém-se desde 1923.


Árvore de Natal em Portugal


Como o uso da árvore de Natal tem origem pagã, este predomina nos países nórdicos e no mundo anglo-saxónico. Nos países católicos, como Portugal, a tradição da árvore de Natal foi surgindo pouco a pouco ao lado dos já tradicionais presépios.


Contudo, em Portugal, a aceitação da Árvore de Natal é recente quando comparada com os restantes países. Assim, entre nós, o presépio foi durante muito tempo a única decoração de Natal.


Até aos anos 50, a Árvore de Natal era até algo mal visto nas cidades e nos campos era pura e simplesmente ignorada. Contudo, hoje em dia, a Árvore de Natal já faz parte da tradição natalícia portuguesa e já todos se renderam aos Pinheirinhos de Natal!


Presépio


A palavra "presépio" significa "um lugar onde se recolhe o gado, curral, estábulo". Contudo, esta também é a designação dada à representação artística do nascimento do Menino Jesus num estábulo, acompanhado pela Virgem Maria, S. José e uma vaca, por vezes acrescenta-se outras figuras como pastores, ovelhas, anjos, os Reis Magos, entre outros.


A configuração plástica do nascimento de Jesus, ao que parece, surgiu por iniciativa de S. Francisco de Assis, em 1223.


No século XVIII, a recriação da cena do nascimento de Jesus estava completamente inserida nas tradições de Nápoles e da Península Ibérica (incluindo Portugal).


Não é exagero dizer que em Portugal foram feitos alguns dos mais belos presépios de todo o mundo, sendo de destacar os realizados pelo o escultor Machada de Castro e os criados pelo barrista António Ferreira.


Atualmente, o costume de armar o presépio ainda se mantém em muitos países europeus.


Reis Magos


Os Reis Magos são personagens que vieram do Oriente, guiados por uma estrela, para adorar o Deus Menino, em Belém (Mateus 2, 1-12).
A designação "Mago" era dada, entre os Orientais, à classe dos sábios ou eruditos. Já o apelido de "Reis" foi-lhes atribuído em virtude da aplicação liberal que se lhes fez do Salmo 71,10.
Ignora-se a providência dos Reis Magos, mas supõe-se que fossem da Arábia, tendo em conta os dons oferecidos (ouro, incenso e mirra).
Quanto ao número e nomes dos Reis Magos são tudo suposições sem base histórica. Foi uma tradição posterior aos Evangelhos que lhes deu o nome de Baltasar, Gaspar e Melchior.
O dia de Reis celebrava-se a 6 de Janeiro, partindo-se do princípio que foi neste dia que os Reis Magos chegaram finalmente junto ao Menino Jesus. Em alguns países é no dia 6 de Janeiro que se entregam os presentes.


As Músicas de Natal


A Igreja Católica sempre deu muita importância à música. As músicas de Natal surgiram devido aos esforços católicos de retirar importância às músicas e danças pagãs As primeiras músicas de Natal surgiram no século IV e ainda hoje são cantadas. No século XIX, surgiram muitas melodias de Natal de origem pagã.
Cada país tem as suas próprias canções, uma das mais populares é a canção inglesa "White Christmas" escrita por Irving Berlin em 1942, mas não é a única temos ainda o exemplo de "Silent Night, Holly Nigth" composta na Áustria por Franz Grubet no século XIX, "Jingle Bells", entre muitas outras.
Portugal também tem as sua músicas de Natal, a mais conhecida é "Adeste Fidelis", que tem a particularidade de estar escrita em latim. Aliás a fama desta música fez com se que se criasse uma versão sua em inglês, a também famosa "O Come, All Ye Faithful".


Missa do Galo


A partir do ano 330, a Igreja celebra, em Roma, o nascimento de Jesus a 25 de dezembro. Porque é o dia do solstício do inverno romano. Porque nesse dia do nascimento do sol, os pagãos festejavam o natal do Deus-Sol - Natalis Invictus. Por isso, os romanos passaram a celebrar, nesse dia, a festa da posse do Deus-Imperador. Por isso, o Imperador Constantino, cristão, substituiu as festas pagãs, com um sincretismo do culto ao Sol e ao Imperador. Instituiu a Festa de Natal do Sol da Justiça e da Luz do Mundo, Jesus Cristo.


Como preparavam a festa do Sol, com as festas pagãs de 17 a 24 de dezembro, chamadas Saturnais, assim surgiu o Tempo do Advento, para preparar o Natal de Cristo.


No século IV, a comunidade cristã de Jerusalém ia em peregrinação a Belém, para celebrar a Missa do Natal na primeira vigília da noite dos judeus, na hora do primeiro canto do galo, mencionado por Jesus na traição de Pedro (Mt. 26,34 e Mc 14,68.72).


Por isso, a Missa da meia noite no Natal, se chama Missa do Galo, do primeiro canto do galo. Essa missa do galo é celebrada, em Roma, desde o século V, na Basílica de Santa Maria Maior. Pois, o galo,tam bém publica o nascer do sol. E o galo passou a simbolizar vigilância, fidelidade e testemunho cristão. Por isso, no século IX, o galo foi parar no campanário das igrejas.


Papai Noel


Hoje lembramos São Nicolau, filho de pais ricos com profunda vida de oração. Nicolau nasceu no ano 275 na Ásia Menor. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira, onde com amor evangelizou os pagãos, mesmo no clima de perseguição que os cristãos viviam.


São Nicolau é conhecido principalmente para com os pobres, já que ao receber por herança uma grande quantia de dinheiro, livremente partilhou com os necessitados. Certa vez Nicolau sabendo que três pobres moças não tinham os dotes para o casamento e por isso o próprio pai, na loucura, aconselhou a prostituição, jogou pela janela da casa das moças três bolsas com o dinheiro suficiente para os dotes das jovens. Daí que nos países do Norte da Europa usando da fantasia viram em Nicolau o velho de barbas brancas que levava presentes às crianças no mês de dezembro.


Sagrado bispo de Mira, Nicolau conquistou a todos com sua caridade, zelo, espírito de oração, e carisma de milagres. Historiadores relatam que ao ser preso, por causa da perseguição dos cristãos, Nicolau foi torturado e condenado a morte, mas felizmente se salvou em 313, pois foi publicado o edito de Milão que concedia a liberdade religiosa.


São Nicolau participou do Concilio de Nicéia, onde Jesus foi declarado consubstancial ao Pai. Entrou Nicolau no céu em 342 ao morrer em Mira com fama de santidade e de instrumento de Deus para que muitos milagres chegasse ao povo


Fonte: Entre Redes


Read More

A Verdade Sobre 2012 (Segundo Maias-Nahuas)


maias_os-astecas-2


Especial para Nós - Fora dos Eixos - Sempre que é chegada uma destas datas "marcadas" - e é verdade que poucas datas proféticas tem sido tão claramente assinaladas como o 2012-, aparecem os anunciadores do "fim do mundo" para lucrar com o sensacionalismo e o medo das pessoas. Tampouco podemos negar que "o mar não está pra peixe", a idéia da crise ambiental e cultural é coisa que quase ninguém consegue já refutar, e os experts confirmam que as perspectivas para o futuro são deveras sombrias.



A Tradição universal também ensina que os ciclos raciais terminam com crise ampla, cultural e ambiental. Porém, mesmo em meio a isto existe sempre muita esperança, afinal se está colhendo o carma de um logo período de evolução, o que prenuncia uma Nova Era. Quando aconteceu o Dilúvio, Deus conclamou Noé a construir a sua arca para nela preservar todas as espécies e também uma semente da humanidade, de modo que, após os 40 dias de chuvas, tudo pudesse recomeçar, sobre uma Terra depurada e renovada. Assim, todo este esforço e sofrimento final valeram a pena.




O Dilúvio: após a tempestade, a bonança.


De maneira que tudo isto que se anuncia para um futuro breve já representa um quadro bastante sério, porém se destina ainda a ser administrado, ao contrário do catastrofismo radical que inspira apenas o desespero. Por isto, quando chegar o 2012 e nada disto acontecer mais uma vez, lembremos-nos de não pensar que tal coisa desmente os maias, mas apenas aqueles que inventam coisas em seu nome.


Não haverá, por exemplo, uma inversão do eixo físico da Terra, embora possa mudar o pólo magnético, acarretando alguns transtornos temporários. Já quanto ao eixo espiritual do mundo, este sim estará ali consolidado. E lembrar, mais uma vez, que não se trata do fim do mundo, mas do encerramento de um ciclo, que os maias-nahuas chamaram de "Quinto Mundo" ou "Quinto Sol", chamado de Ollin ou "Movimento", porque comparativamente os ciclos anteriores eram humanos, materiais e estáticos, ao passo que o novo ciclo já era em parte solar e dinâmico, quintessencial e sagrado.




Crises anunciadas


Image and video hosting by TinyPic


Dilúvio


Assim, nada melhor do que, pelo contrário, conhecer aquilo que os próprios maias têm a dizer. E quando falamos dos maias, estamos incluindo ou nos reportando também aos nahuas do México, culturas que são tão próximas e assemelhadas quanto duas culturas poderiam ser, distinguindo-se apenas pelo estilo, se tanto. Ocorre que, infelizmente, os registros da cultura maia foram impiedosamente destruídos, salvando-se apenas um ou outro códice quase por milagre, à parte as suas escrituras (talvez algo adaptadas já) e, é claro, muito daquilo que ficou registrado em pedras.


Nisto, os nahuas seguem uma tradição pela qual o final de cada mundo ou raça é anunciada por catástrofes, e para o final deste "Quinto Mundo" (ou "Quinto Sol", semelhante à Quinta raça-raiz dos teósofos), preconizam um caos formado por fogo e terremotos. O fim do mundo pelo fogo está presente já em muitas escrituras, e São Pedro chega a dar detalhes: "(…)pela palavra de Deus existiram os primeiros céus e terra, terra esta tirada da água e por meio da água subsistiu, e pela qual pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio. Mas o dia do Senhor virá agora como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão." (II Pedro 3:5-10)




Image and video hosting by TinyPic


Chuva em excesso prejudicam estados como São Paulo. Por Fernando Donasci



As águas estão subindo novamente


Assim, apesar das águas estarem a subir novamente, já não cabe a ênfase neste elemento, pois o seu desequilíbrio atual é um resultado da ação do fogo (não obstante, como símbolo das massas humanas-ver Apocalipse 17,15-, as águas são um símbolo cíclico permanente). Nem vamos discutir o quanto o dilúvio tem de mito e até de profecia.


O "estrondo" aqui pode sugerir o terremoto. Ora, sendo a Terra um ser vivo, como afirma a Teoria Gaia, ela naturalmente poderá produzir manifestações de autodefesa ante as coisas que o ser humano tem produzido. Para alguns analistas, algo que poderia acontecer de positivo neste quadro, é a criação de uma grande capa de fumaça impedindo um maior acesso dos raios do Sol à superfície, através da atividade dos vulcões. Ora, a atividade vulcânica acontece naturalmente em par com os movimentos sísmicos ou os terremotos, os quais poderão assim acrescentar e ampliar as suas ações num futuro próximo.


A Ciência atual considera irreversível o aquecimento global, de modo que é provável que as reações de Gaia se estendam por décadas e até por séculos. Neste período, o setor imobiliário se globalizará para negociar as áreas mais estáveis da Terra, a um só tempo imune e inundações e a terremotos. Nisto, os grandes planaltos serão naturalmente valorizados. Os ricos farão é claro construções seguras, ali mesmo onde estiverem. Porém, as pessoas mais simples redescobrirão a importância de viver sem uma montanha de concreto sobre a própria cabeça, buscando para isto muitas vezes as regiões cálidas da Terra.




A busca pela Terra da Promissão


2012 não é em si mesmo o fim, ele é "apenas" o começo-do-fim, o início da transição, aquela etapa na qual o mundo se mobilizará ativamente porque as dores do parto estarão presentes e sendo sensivelmente sentidas. As águas estarão subindo e atingirão países "civilizados", entre muitos outros caos que as mudanças climáticas trarão, acarretando em protestos da população contra o modelo econômico vigente.




Image and video hosting by TinyPic


Visão do Paraíso



As Mudanças esperadas


Isto nos leva a ver que, ao lado das precauções necessárias, é preciso enxergar o lado positivo do quadro, que é de natureza cultural. Chega um ponto que a crise se transforma em ensinamento, na velha, mas sempre renovada lição da rebeldia e do arrependimento. As crises potencializam mudanças, e as grandes transições preparam a transformação. Aqui entra a questão axial ou da mudança dos pólos, seja magnética ou espiritual.


Os nahuas também legaram informações precisas a respeito. Reza uma grande lenda local que, após o Dilúvio produzido na extinção do Quarto Sol (entenda-se "Sol" como símbolo da cultura ou da civilização), os deuses se reuniram em Teotihuakan para criar o Quinto Sol. Por isto, a cidade das Grandes Pirâmides ficou conhecida como "a Cidade dos Deuses", ou Teotihuakan.


Teotihuakan: o berço do Quinto Sol


Tal coisa fixa, assim, certo padrão de renovação através da chamada Assembléia Agarthina, quando os iniciados se reúnem em Conclaves para tomar decisões e determinar mudanças culturais. Por isto uma das grandes profecias nahuas para o período, trata justamente da volta dos deuses na aurora do Sexto Mundo. Afinal, todo o começo de Era e de raça-raiz é prenunciada pela chegada dos Budas e dos Rishis ou videntes, aqueles que preparam a transição através da síntese. Eis o que escrevemos a respeito em outra parte:


"Esta reaproximação à Luz se dá em boa parte em função das crises surgidas nas transições raciais, quando a humanidade reaprende que necessita do auxílio superior para não sucumbir. E assim ela termina por conhecer períodos de grande estabilidade e felicidade, que constituem as chamadas Idades de Ouro e de Prata da civilização. Mas na medida em que avança a raça, o alinhamento com a Hierarquia se debilita, e vão predominando as tendências humanas de materialismo, até que uma crise planetária se instaure novamente. Esta situação cíclica perdura enquanto a humanidade evolui, e felizmente estamos adentrando agora na última raça-raiz." ("O Jardim do Sol", Luís A. W. Salvi).


Neste quadro, a principal coisa a ser sabida, é que estamos tratando da transição das raças-raízes ou de civilizações mundiais, uma realidade que envolve o próprio conceito de História e de cultura. Esta transição prepara daí um novo momento para a cultura mundial, de modo que para os iniciados significará a liberação cósmica através da ascensão, e para os humanos representará a liberação terrena através da iluminação - daí também se anunciar esta Nova Era como uma época de Fogo. Para a humanidade em especial, significa ultrapassar a etapa meramente racional e adentrar na etapa intuitiva ou pós-racional, que é o resgate do sensível, porém enriquecido pelo uso do instrumento da razão, a qual passa doravante para o segundo plano e a ser subordinado à imaginação, ao amor, etc.




Brasil: a nação do Sexto Sol


Com isto, importantes paradigmas culturais se renovarão e novas sínteses serão alcançadas, de tal modo que o modelo cultural anterior passará a ser visto como primitivo e retrógrado, assim perigoso em diversos sentidos. E tais coisas têm uma importância especial para o Brasil, porque este país é sabidamente a última sub-raça árya, aquela que encerra o ciclo civilizatório do Quinto Mundo. E tudo isto deve ser visto sob uma ótica calendárica própria, baseada antes nos códigos de tempo ocidentais do que nas cronologias orientais, as quais são comumente apostos por véus. Por isto, o local destinado a protagonizar esta transição é realmente o Brasil. E é por esta razão que as únicas orientações sensatas a respeito da transição estão sendo emanadas dentro e a partir deste país, servindo, senão para orientar as presentes gerações, ao menos como marco e referência para o futuro-felizes, contudo, aqueles que despertarem na alvorada, pois a estes Deus ajuda.


Image and video hosting by TinyPic


Planalto Central mexicano


O tema trata, assim, das grandes claves da renovação, sempre conhecidas, mas também desafiadoras, ou seja, a lógica da união, seja vertical ou horizontal. Ao lado de buscar a iniciação e a iluminação, é preciso admitir a importância de somar forças e de diversificar a linguagem. Ninguém pode achar que detém toda a verdade ou todo o poder, porque isto é impossível e anti-evolutivo. Quem assim pensar estará falhando em alguma coisa e não enxerga a globalidade dos fatos.


A crise deve ser usada como oportunidade, como ensinavam os antigos chineses. Quando a crise se desencadeia, os arautos na renovação (os detentores das novas informações) devem estar a postos para oferecer a um mundo perdido uma nova orientação, a fim de fazer da perplexidade uma chance de rever as coisas, pois de outra forma restará somente o caos e o desespero destrutivo. Assim, a renovação deve suceder, e se isto não acontecer é apenas porque aqueles que têm sido chamados para construir a Arca não fizeram a parte que lhes foi ordenada, que é reunir a família noética (os iniciados), edificar a nau (a sabedoria) e congregar os pares de animais (um pouco de todo o povo em geral), rumando daí para a Terra Prometida a salvo das águas do Dilúvio. E então, no sagrado Ararat, serão todos recebidos pelo arco-íris da Nova Aliança.


Por Luis Augusto Weber Salvi


Bibliografia


- 2012 - o Despertar da Terra (O Portal da Quarta Dimensão), Luís A. W. Salvi, Ed. Agartha, 2009, AP.


- A Acrópole Agarthina - a Tradição dos Planaltos como bases da Alta Cultura Espiritual, Luís A. W. Salvi, Ed. Agartha, 2009, AP.


- O Jardim do Sol (coletânea), Luís A. W. Salvi.


Read More

20 novembro 2010

Simpatia Para obter uma graça de Nossa Senhora das Graças


No Dia de Nossa Senhora das Graças, 27 de novembro, pegue uma medalha da santa com a mão direita e peça:



"Ó Senhora, medianeira entre os homens e teu Filho Jesus, socorra-me em minha aflição. Pelo sangue de Jesus


derramado na cruz, conceda-me a graça de… (faça o pedido).
Tenho fé, Mãe Santíssima, que não me faltarás com o teu auxílio. Amém".



Reze uma Salve-Rainha e agradeça a Nossa Senhora das Graças.


Read More

15 novembro 2010

Suposta descoberta arqueológica na Grécia abre discussão sobre a existência dos Nefilins como relatado na Bíblia?


O conteúdo deste post recebi recentemente por e-mail e fiquei em dúvida quanto à autenticidade das fotos por falta de citação de fontes confiáveis. Embora alguns sites afirmem tratar-se de uma farsa, ou seja, são imagens montadas digitalmente, resolvi publicá-las assim mesmo, já que abre um precedente para uma nova discussão sobre a existência, ou não, dos Nefilins, como mencionado na Bíblia.



Veja um pequeno trecho a respeito do tema que encontrei no site da Wikipedia: Na Bíblia esta palavra refere-se aos heróis da antigüidade, que eram homens perversos que viveram na mesma época do relacionamento entre os "Filhos de Deus" e as "filhas dos Homens". É por isso que foram por muitas vezes considerados como sendo o resultado dessas relações, mas as Escrituras apenas dizem que eles habitavam a terra na mesma época. A maior testemunha disso é Flávio Josefo, que faz uma distinção entre os gigantes e o fruto das relações entre os "Filhos de Deus" e as "filhas dos homens", quando afirma em sua obra: "... e os grandes da terra, que se haviam casado com as filhas dos descendentes de Caim, produziram uma raça indolente que, pela confiança que depositavam na própria força, se vangloriava de calcar aos pés a justica e imitava os gigantes de que falam os gregos." (Antiguidades Judaicas). Aparece pela primeira vez em Gênesis 6 traduzido como Gigantes, na maioria das versões bíblicas. http://pt.wikipedia.org/wiki/Nefilim


Nephilim é a palavra usada para descrever o gigante que é falada nos tempos bíblicos por Enoch, e contra o gigante que lutou David (Golias). Trechos da Bíblia: Num. 13:33 - Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos; Gen. 6:04 - Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.



Read More

08 novembro 2010

Passageiro de avião fotografa Ovni sobre o Rio de Janeiro


Image and video hosting by TinyPic


Um passageiro que fazia uma viagem de férias, e que naquela altura sobrevoava o Rio de Janeiro, Brasil, fotografou o que parece ser um Óvnis através da janela do avião. Vários passageiros também viram o objeto em questão e segundo suas declarações, o objeto foi descrito como uma bola que refletia a luz solar, semelhante a uma bola de futebol. Alguns passageiros ficaram até assustados, pois havia a possibilidade de uma colisão devido ás manobras "inteligentes" do artefato, que manobrou por entre as nuvens e que acompanhou o avião durante cerca de 2 minutos.




Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic


Segundo o registro da câmara fotográfica, as fotografias foram tiradas no dia 14 de Julho de 2010.


Read More

29 outubro 2010

A origem dos símbolos religiosos


Por acaso vocês sabem a razão do cristianismo adotar a cruz como símbolo? Ok, não é tão difícil imaginar. Mas e a estrela de Davi como símbolo do judaísmo? Ou a lua crescente com a estrela, símbolos do islamismo? Pois bem, este post apresentará a origem de alguns conhecidos símbolos religiosos.




CRUZ (Cristianismo)



Símbolos semelhantes já apareciam em culturas pagãs, antes de Cristo. Ela só foi adotada pelos cristãos quando o imperador romano Constantino aboliu as condenações na cruz, no início do século 4. Além de representar a morte de Cristo, a cruz simboliza Deus, Jesus e o Espírito Santo, nas pontas superior, inferior e laterais, respectivamente





ESTRELA DE DAVI (Judaísmo)


Duas pirâmides - uma apontando para cima e outra invertida - representam a união ou equilíbrio entre o céu e a terra. Diz-se que Davi, importante rei de Israel, mandava gravar o símbolo nos escudos de seu exército como amuleto de proteção. A partir daí, a estrela de Davi passou a ser identificada com o povo israelita




LUA CRESCENTE COM ESTRELA (Islamismo)



Estudiosos supõem que, mesmo antes do islamismo, árabes nômades cultuavam a Lua por viajarem à noite. Quando o símbolo foi adotado na bandeira do islâmico império turco-otomano, passou a ser identificado com os muçulmanos. Mesmo assim, muitos fiéis negam a utilização de qualquer símbolo para representar a fé islâmica





OM (Hinduísmo)


É a forma escrita, em sânscrito, do principal mantra hindu. Os mantras são palavras, poemas ou textos entoados durante a meditação para auxiliar na concentração e invocar divindades. Vários textos dos Vedas - as escrituras sagradas hinduístas - começam com Om - pronuncia-se Aum - e significa "aquilo que protege"






SUÁSTICA (Jainismo)



Este símbolo - que também aparece no hinduísmo e no budismo - seria um desenho com quatro letras gregas gama (G), representando os quatro ventos, os quatro pontos cardeais, as quatro estações e outros conceitos da natureza relacionados ao número quatro. Mais tarde, o nazismo inclinou o símbolo e popularizou a suástica com um significado negativo






DHARMACAKRA (Budismo)



Embora muitos não considerem o budismo como religião, a filosofia também carrega sua marca. O círculo de onde partem oito raios é conhecido como Roda do Dharma. Por sua vez, dharma são os ensinamentos de Buda para que se alcance a iluminação, entre eles o Nobre Caminho Óctuplo, com oito vias que levam ao fim do sofrimento






YIN-YANG (Taoísmo)



Estudando as sombras projetadas pelo movimento do Sol, os chineses montaram um tipo de infográfico indicando a duração de dias e de noites ao longo do ano. Esse equilíbrio, fundamental para a agricultura, passou a representar a importância dos opostos e a presença de um dentro do outro - bolinha preta na parte branca, e vice-versa



Estas informações foram retiradas do site da ótima revista

Mundo Estranho, onde você pode encontrar mais algumas informações sobre o assunto aqui abordado.

Read More

27 outubro 2010

Mentes Perigosas - O psicopata mora ao lado



Quando pensamos em psicopatia, logo nos vem à mente um sujeito com cara de mau, truculento, de aparência descuidada, pinta de assassino e desvios comportamentais tão óbvios que poderíamos reconhecê-lo sem pestanejar. Isso é um grande equívoco! Para os desavisados, reconhecê-los não é uma tarefa tão fácil quanto se imagina. Os psicopatas enganam e representam muitíssimo bem. "Mentes Perigosas" discorre sobre pessoas frias, manipuladoras, transgressoras de regras sociais, sem consciência e desprovidas de sentimento de compaixão ou culpa. Esses "predadores sociais" com aparência humana estão por aí, misturados conosco, incógnitos, infiltrados em todos os setores sociais.



São homens, mulheres, de qualquer raça, credo ou nível social. Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam, têm filhos, mas definitivamente não são como a maioria da população: aquelas a quem chamaríamos de "pessoas do bem". Eles podem arruinar empresas e famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloqüentes, "inteligentes" e sedutores costumam não levantar a menor suspeita de quem realmente são. Visam apenas o benefício próprio, almejam o poder e o status, engordam ilicitamente suas contas bancárias, são mentirosos contumazes, parasitas, chefes tiranos, pedófilos, líderes natos da maldade. Em casos extremos, os psicopatas matam a sangue-frio, com requintes de crueldade, sem medo e sem arrependimento. Porém, o que a sociedade desconhece é que os psicopatas, em sua grande maioria, não são assassinos e vivem como se fossem pessoas comuns.


Minha avaliação: 9, excelente!


Mentes Perigosas era um livro que a princípio não me atraía. Sempre pensei, "Eu? Ler esse livro? Vai que eu descubro os psicopatas que estão ao lado, prefiro não saber." Mas me rendi, recebi ótimas indicações e não resisti, comprei, li e gostei muito, excelente leitura. Como pedagoga e futura psicopedagoga vejo o enriquecimento teórico que o livro trouxe, mas não se assuste o livro é técnico mas cheio de exemplos do nosso cotidiano e a escrita da autora é simples, objetiva e direta. No início a autora faz uma breve explicação sobre "consciência" e confesso que nunca tinha entendido tanto o verdadeiro sentido da palavra. Lembro das aulas de filosofia na faculdade de pedagogia, como era difícil extrair um conceito para "consciência". Ana Beatriz fez isso de maneira clara já nas primeiras páginas do livro. No decorrer da leitura ela nos leva a refletir sobre o perfil, comportamento e como lidar com esses psicopatas que estão ao nosso lado. O fechamento da leitura é incrível, ela faz todo um resumo, esclarece tudo o que ficou no ar e ainda deixa uma reflexão sobre modernidade e humanidade.


Se descobri algum ao meu lado? Bem, ainda não sei dizer, por enquanto estou apenas observando, mas afirmo que o livro me ajudou muito a refletir sobre a maldade que ronda nossa vida e a perceber que nem todos tem o coração "bom" que esperavamos que tivessem. Enfim, recomendo essa leitura para todos, pois nunca sabemos quando teremos um psicopata ao nosso lado, capaz de destruir nossa vida sem nenhuma consciência ou sentimento de culpa, fique de olhos abertos, invista nessa leitura e aprenda a se proteger;)




Meus destaques:


"Apesar de mais de vinte anos de profissão, ainda fico muito surpresa e sensibilizada com a quantidade de pacientes que me procuram com suas vidas arruinadas, totalmente em frangalhos, alvejadas por esses "seres bípedes" que sugam o nosso sangue e vampirizam a nossa alma." (pág. 17)


"...consciência pode ser definida como uma emoção. É a voz secreta da alma, que habita em nosso interior e que nos orienta para o caminho do bem." (pág. 27)


"Eles são incapazes de estabelecer vínculos afetivos ou de se colocar no lugar do outro." (pág. 37)


"Um psicopata, quando "perde o controle", sabe exatamente até onde ele quer ir, no sentido de magoar, amedrontar ou machucar uma pessoa. Apesar de tudo isso, eles se recusam a admitir que tenham problemas em controlar seu temperamento. Eles descrevem seus episódios agressivos como uma resposta natural à provocação a que foi submetido. Daí a se colocar como vítima de toda situação é um passo muito pequeno!" (pág. 85)


"Por mais bizarro que isso possa parecer, os psicopatas não se importam se serão magoados ou não. Isso por uma razão muito simples, eles não têm sentimentos para serem feridos." (pág 184)




Um pouco mais sobre a autora:





Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva


Image and video hosting by TinyPic


Médica graduada pela UERJ com pós-graduação em psiquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora Honoris Causa pela UniFMU (SP) e Presidente da AEDDA - Associação dos Estudos do Distúrio do Déficit de Atenção (SP). Diretora das clínicas Medicina do Comportamento no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde faz atendimento aos pacientes e supervisão dos profissionais de sua equipe.
Escritora, realiza palestras, conferências, consultorias e entrevistas nos diversos meios de comunicação, sobre variados temas do comportamento humano. Autora dos livros: "Mentes Inquietas - TDAH: desatenção, hiperatividade e impulsividade" [Publicação revista e ampliada], "Mentes & Manias", "Sorria, você está sendo filmado (em parceria com o publicitário Eduardo Mello), "Mentes Insaciáveis: anorexia, bulimia e compulsão alimentar", "Mentes com Medo: da compreensão à superação" e "Mentes Perigosas: o psicopata mora ao lado".


Leia essa entrevista feita pela revista Época com a Dra. Ana Beatriz, clique aqui!


Acesse também seu site oficial:


http://www.medicinadocomportamento.com.br/


Read More

26 outubro 2010

Um pouco da história de Padre Antonio Vieira


Pe. Antônio Vieira Nasceu em Lisboa, Portugal, no dia 6 de fevereiro de 1608 e faleceu na Bahia em 17 de junho de 1697 .


Image and video hosting by TinyPic

Notável prosador e o mais conhecido orador religioso português, o Padre Antônio Vieira nasceu em 1608, em Lisboa, e faleceu na Bahia em 1697. Aos seis anos vem para o Brasil com os pais e fixa-se na Bahia. Em 1623 inicia o noviciado na Companhia de Jesus. Ordena-se sacerdote em 1635, exerce as funções de pregador nas aldeias baianas e começa a granjear notoriedade como pregador. Os primeiros sermões já refletem as preocupações sócio-políticas de Vieira já que a colônia da Bahia lutava contra as invasões dos holandeses.



Em 1641, restaurada a independência, regressa a Portugal e cativa o favor de D. João IV. Por isso, inicia em 1646 missões diplomáticas na Europa.


Volta ao Brasil em 1653, para o estado do Maranhão, depois de se envolver em questões relacionadas com a Companhia de Jesus.


Aí toma um papel muito ativo nos conflitos entre jesuítas e colonos, como paladino dos direitos humanos, a propósito da exploração dos indígenas.


Image and video hosting by TinyPic

No ano seguinte prega o " Sermão de Santo Antônio aos Peixes ".


É expulso do Maranhão pelos colonos, em 1661, e regressa a Lisboa.


Em 1665 é preso em Coimbra pelo Tribunal do Santo Ofício sob a acusação de acreditar nas profecias do poeta Bandarra.


Três anos depois é anistiado e retoma as pregações em Lisboa.


Em 1669 parte para Roma e obtém grande sucesso como pregador, combatendo o Tribunal do Santo Ofício.


Regressa a Portugal em 1675; mas, agora sem apoios políticos e desiludido pela perseguição aos cristãos-novos (que tanto defendera), retira-se de vez para a Bahia em 1681 onde se entrega ao trabalho de compor e editar os seus Sermões.
A sua prosa é vista como um modelo de estilo vigoroso e lógico, onde a construção frásica ultrapassa o mero virtuosismo barroco.


A sua riqueza e propriedade verbais, os paradoxos e os efeitos persuasivos que ainda hoje exercem influência no leitor, a sedução dos seus raciocínios, o tom por vezes combativo, e ainda certas subtilezas irônicas, tornaram a arte de Vieira admirável.


Read More

18 outubro 2010

Dia do médico: 18 de outubro


!cid_04E70B1D16584D08B8A4244E5BC894D7@marx Nasceu em Antioquia da Síria, médico de profissão foi convertido pelo apóstolo São Paulo, do qual ficou inseparável e fiel companheiro, colaborador no apostolado, de fato o apóstolo dos gentios em diversos lugares externa a alta consideração em que tinha São Lucas como portador de zelo e fidelidade no coração. Juntamente com São Paulo, Lucas fez várias viagens apostólicas, tornando-se um dos primeiros missionários do mundo greco - romano.


Tornou-se porém, excepcional para a vida da Igreja, por ter sido dócil ao Espírito Santo, que capacitou com o Carisma da inspiração e com uma vivência comunitária, que resultaram no Evangelho segundo Lucas e na primeira história da Igreja, conhecida como Atos dos Apóstolos.



No Evangelho, encontramos o Cristo que sendo amor universal se revela a todos, e chama Zaqueu, Maria Madalena, garante o Céu para o "bom" ladrão e conta as lindas parábolas do filho pródigo, ou do pai misericordioso, e do bom samaritano. Nos Atos dos apóstolos, que poderia também chamar Atos do Espírito Santo, a deparamo-nos com a ascensão do Cristo que promete o batismo no Espírito Santo, cumpre no dia de Pentecostes e inaugurando assim sua Igreja que evangeliza com coragem a todos os povos.


Uma tradição que recolheu no século XIV Nicéfono Calisto, inspirado numa frase de Teodoro, escritor do século VI diz-nos que São Lucas foi pintor e fala-nos de uma imagem de Nossa Senhora saída do pincel e coração daquele que mais relatou o singular papel de Maria na Encarnação, até Pentecostes.


O historiador São Jerônimo diz que Lucas viveu a missão até a idade de 84 anos, terminando sua vida com o martírio. Por isso, no hino das Laudes rezamos: "Cantamos hoje, Lucas, teu martírio, teu sangue derramado por Jesus, os dois livros que trazes nos teus braços e o teu halo de luz".



!cid_14BF3A49944C4BBEADC93FC8D9BA575E@marx


Oração do Médico


Vós sois o Grande Médico, Senhor!
Humildemente, antes de iniciar o meu trabalho, ajoelho-me diante de Vós e Vos peço para que a Vossa inspiração se faça presente em mim!


Dai habilidade às minhas mãos, lucidez ao meu espírito e compreensão ao meu coração!
Dai-me discernimento para corrigir meus erros
e força para poder aliviar, ao menos em parte, a carga de sofrimentos dos meus semelhantes.
Concedei-me hoje e sempre, as graças de poder continuar sendo Vosso instrumento e levar a bom termo a sagrada missão que me confiastes, e de ser sempre digno dela, em honra do Vosso Santo Nome!
Que nos momentos da minha limitação humana, eu possa contar sempre com a Vossa misericórdia e com o consôlo da certeza do dever cumprido.
Que a luz das Vossas Mãos esteja sempre sobre as minhas!
Abençoai-me Senhor, e a todos os que estão comigo nessa jornada.
Permiti, Pai de bondade, que ao fim de mais este dia de trabalho, eu possa novamente ajoelhar-me diante de Vós e dizer: Obrigado, Senhor!




18 de Outubro - Dia do Médico


Read More

04 outubro 2010

Atlântida Renascida


Existem muitos mistérios sobre o passado e sobre como evoluímos da Idade da Pedra até nossa civilização. Agora existe uma nova teoria controversa. Ela proclama que os historiadores ignoraram evidências de uma civilização perdida de sofisticação espetacular, a chave do nosso passado. Se for verdade, este episódio esquecido vai subverter todas as nossas idéias sobre as origens da civilização. Assista a seguir um excelente documentário produzido pela BBC sobre a Atlântida Renascida, em 5 partes:


Parte 1




Parte 2






Parte 3






Parte 4






Parte 5






Read More

29 setembro 2010

Como não sofrer com a síndrome de visão de computador


Image and video hosting by TinyPicCom o uso cada vez mais constante do computador, cada vez mais as pessoas desenvolvem problemas de visão por causa da tela do aparelho. Essa série de problemas foi batizada de "síndrome de visão de computador".


Os sintomas são dores de cabeça, queimação nos olhos, olhos secos e embaçados. Eles parecem familiares?


Conheça algumas coisas que você pode fazer antes de que sua visão esteja completamente arruinada.



Renove seu monitor


Pesquisas mostraram que os monitores mais velhos causam mais problemas de visão do que os mais recentes, então compre um modelo mais novo.


Iluminação


Assegure que as condições de iluminação de sua área de trabalho estejam perfeitas para sua visão. Se a luz for muito forte, seus olhos ficam cansados - e a mesma coisa acontece se houver pouca luz. Então tenha certeza que a iluminação está balanceada.


Exercite seus olhos


Quando tiver uma meia hora livre, aproveite para fazer alguns exercícios oculares (sim, os olhos também podem ser exercitados).


Confira essa lista:


1. Sente-se por um momento, esfregue as palmas de suas mãos uma na outra até aquecê-las. Depois feche os olhos e coloque as palmas sobre eles, enquanto ainda estão quentes. Após um período de dois minutos você sentirá que está ainda mais escuro de olhos fechados. É essa escuridão que é altamente terapêutica.


2. Olhe para cima e para baixo repetidas vezes. "Rolar" seus olhos dessa forma faz com que eles se movimentem de forma diferente do que acontece na frente do computador.


3. Outro exercício aconselhado é fechar os olhos com força por cinco segundos e depois abri-los e não piscar por outros cinco segundos. Você deve repetir isso aproximadamente oito vezes.


Remédios naturais e caseiros


Também há remédios naturais que podem aliviar os sintomas dessa síndrome. Eles contém ingredientes fáceis de serem achados que, possivelmente, você já tem em casa:


1. Sementes de girassol são altamente nutritivas e cheias de vitaminas que beneficiam a visão. Se você ingerir meia xícara dessas sementes (sem serem salgadas ou processadas) sentirá que alguns sintomas serão aliviados.


2. Corte duas finas rodelas de batata e as coloque sobre seus olhos durante 20 minutos (da mesma forma que pessoas colocam rodelas de pepinos).


3. Cozinhe alecrim em água quente por 10 minutos e depois molhe um pano de algodão (bem limpo) com o líquido. Coloque esse pano sobre os olhos fechados durante 15 minutos.


Mas se você sente que seus olhos estão muito secos ou embaçados e se sua visão está muito ruim, é melhor consultar um oftalmologista. Ele provavelmente irá recomendar óculos especiais para que você use na frente do computador - eles são feitos para aliviar a tensão que a luz do monitor causa. [Environmental Graffiti]


Por Luciana Galastri


Read More

28 setembro 2010

Acupuntura e reiki agora têm explicação científica


Image and video hosting by TinyPicPesquisadores avaliam efeitos e mecanismo de terapias alternativas em animais de laboratório. Ricardo Monezi testou o Reiki em ratos com câncer (Ilustração: Matheus Lopes)


Pesquisas recentes comprovam efeitos benéficos e até encontram explicações científicas para acupuntura e reiki. Estudos sobre o assunto, antes restritos às universidades orientais, ganharam espaço entre pesquisadores americanos, europeus e até brasileiros. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma denominação especial para esses métodos: são as terapias integrativas.



Um artigo exmecanismo da acupuntura contra a dor foi publicado por pesquisadores da Universidade de Rochester na revista Nature Neuroscience em 30 de maio. Criada há quatro mil anos, a prática consiste na aplicação de agulhas em pontos do corpo. Pela explicação tradicional, ela ativa determinadas correntes energéticas para equilibrar a energia do organismo.


Image and video hosting by TinyPic


Reprodução/ Shutterstock


Cientificamente, as agulhas teriam efeitos no sistema nervoso central (cérebro e espinha dorsal). As células cerebrais são ativadas e liberam endorfina, um neurotransmissor responsável pela sensação de relaxamento e bem-estar. O estudo dos nova-iorquinos descobriu uma novidade: a terapia, que atinge tecidos mais profundos da pele, teria efeitos no sistema nervoso periférico. As agulhas estimulam também a liberação de outro neurotransmissor, a adenosina, com poder antiinflamatório e analgésico.


No experimento com camundongos com dores nas patas, cientistas aplicavam as agulhas no joelho do animal. Eles constataram que o nível de adenosina na pele da região era 24 vezes maior do que o normal e que houve uma redução do desconforto em dois terços.


A equipe tentou potencializar a eficácia da terapia, colocou um medicamento usado para tratar câncer nas agulhas. A droga aprimorou o tratamento: o nível de adenosina e a duração dos efeitos no organismo dos aniamis praticamente tripliquase triplicou e o tempo de duração dos efeitos no organismo dos ratos também triplicou. Mas este método não poderia ser feito em humanos porque o medicamento ainda não é usado clinicamente. "O próximo passo é testar a droga em pessoas, para aperfeiçoá-la ou para encontrar outras drogas com o mesmo efeito", diz Maiken Nedergaard, coordenadora do estudo.




Reiki Seus praticantes acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, o psicobiólogo Ricardo Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. "O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo", diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum tipo de tratamento; o grupo "controle-luva" recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo "impostação" teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.


Image and video hosting by TinyPic


Imposição de mãos nos grupos "Controle-Luva" e "Impostação", respectivamente (imagens retiradas do mestrado de Monezi)


Depois de sacrificados, os animais foram avaliados quanto a sua resposta imunológica, ou seja, a capacidade do organismo de destruir tumores. Os resultados mostraram que, nos animais do grupo "impostação", os glóbulos brancos e células imunológicas tinham dobrado sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas.


"Não sabemos ainda distinguir se a energia que o reiki trabalha é magnética, elétrica ou eletromagnética. Os artigos descrevem- na como 'energia sutil', de natureza não esclarecida pela física atual", diz Monezi. Segundo ele, essa energia produz ondas físicas, que liberam alguns hormônios capazes de ativar as células de defesa do corpo. A conclusão do estudo foi que, como não houveram diferenças significativas nos os grupos que não receberam o reiki, as alterações fisiológicas do grupo que passou pelo tratamento não são decorrentes de efeito placebo.


A equipe de Monezi começou agora a analisar os efeitos do reiki em seres humanos. O estudo ainda não está completo, mas o psicobiólogo adianta que o primeiro grupo de 16 pessoas, apresenta resultados positivos. "Os resultados sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão". O trabalho faz parte de sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).


E esses não são os únicos trabalhos desenvolvidos com as terapias complementares no Brasil. A psicobióloga Elisa Harumi, avalia o efeito do reiki em pacientes que passaram por quimioterapia; a doutora em acupuntura Flávia Freire constatou melhora de até 60% em pacientes com apnéia do sono tratados com as agulhas, ambas pela Unifesp. A quantidade pesquisas recentes sobre o assunto mostra que a ciência está cada vez mais interessada no mecanismo e efeitos das terapias alternativas.


Matéria extraída na íntegra do site Revista Galileu


Read More