08 dezembro 2007

Madonna no dia da Conceição, em Modus vivendi

Read More

glossario - J


Angel Letter J.jpgJacob Boheme: (1575-1624) Místico e filósofo alemão. De humilde origem e escassa instrução, viveu como sapateiro. Seu gênio natural e intuitivo e suas iluminações místicas lhe permitiram escrever obras que exerceram marcada influência na mística e na filosofia. A seus ensinamentos que revelam conhecimentos esotéricos, foi-lhe dado o nome geral de teosofia (não se confunda com a Sociedad Teosófica, de Blavatsky).

Jacques de Molay: (morto 1314) Último Grande Maestre da Ordem dos Templários. A Orden do Templo adquiriu um incrível poderio religioso-militar, inspirando o temor e a inveja da Monarquia (Felipe IV, o Formoso) e do Papado, pelo que a Ordem foi perseguida e eliminada. Molay e os maiores dignatários da Ordem foram levados à fogueira, acusados de heresia. Por ter sido queimado num dia 13, esse dia ficou conhecido como um dia de mau agouro.

Jaimini: (sécs. 4 e 2 a.C.) Sábio hindu que se supõe foi discípulo de Badarayana e criador da escola filosófica Mimansa (ou Purva-Mimansa). Autor do Mimasa Sutra, tratado dedicado à explicação dos Vedas.

Jakin: (hebr.) Símbolo cabalístico e maçônico de um dos dos pilares ou colunas de bronze fundidos por Hiram Abif de Tiro, chamado O Filho da Viúva, que estavam unidas por um véu, que cerrava a entrada do Santuário do Templo de Salomão. Jakin, a coluna branca, era o símbolo da Sabedoria: Chokmah; masculino, o segundo sefirote.

Jâmblico: (c. 33d.C.) Filósofo neoplatônico sírio. Discípulo de Anatólio e Porfírio, recibeu também influências pitagóricas e das doutrinas místicas orientais. Seus ensinamentos se revestem de um carácter esotérico e sua filosofia enfatiza os caracteres místicos religiosos do neoplatonismo. O mestre Samael nos fala que Jâmblico, o Grande Teurgo, foi capaz, na frente de uma multidão, de materializar ao Amor a ao Contramor (Anael e Lilith).

Jamgön Kongtrül: (tib. 'Jam Mgon Kong Sprul) Monge tibetano (1813-1899), um dos criadores do movimento Rime.

Jampa: (tib. Byams Pa) Veja Maitréia.

Jampel: (tib. 'Jam Dpal) Veja Manjushri.

Japa: (masculino) Repetição, exercício devocional consistente em repetir indefinidamente um Mantra, o nome de una deidade.

Jataka: Seção do Khuddhaka-Nikaya com as lendas sobre as vidas passadas do Buddha Shakyamuni.

Jeová: (hebr. "O que é") Nome de Deus no Antigo Testamento. O Nome revelado a Moisés no Monte Horeb, composto por um tetragrama de letras sagradas: YHWH (yod-he-vau-he), cuja pronunciação estaba proibida, pronunciando-se, em seu lugar, Adonai. No esquema gnóstico, Jeová é um Mestre regente de todas as luas do Sistema Solar. Tetragrammaton: As quatro místicas letras do nome de Jeová, Iod, He, Vau, He (IHVH), pelo significado simbólico de cada uma delas, formam juntas o perfeito emblema bissexual, o símbolo masculino-feminino composto do Lingam e do Yoni hindus. O nome judaico da Divindad, Jeová, é um composto de duas palavras: Yah (Y, ou Iod, décima letra do alfabeto hebreu) e Hovah (Hâvah, o Eva). A palavra Jeová, o Yah-Eva, tem a mesma significação de existência ou ser como varão-fêmea. Adam-Kadmon (Gênesis, 4:5) se divide em duas metades, varão e fêmea, convirtendo-se deste modo em Yah-Hovah ou Yah-Eva.

Jeová Elohim: (hebr.) Elohim: Deuses. Yehovah: Jeová. Senhor. Senhor Deus dos Deuses.

Jeová Sabaoth: (hebr.) Senhor Deus dos Exércitos.

Je Rinpoche: (tib. Je Rin Po Che) Veja Tsong-khapa.

Jerônimo Cardan: Segundo Eliphas Levi, um dos mais audazes investigadores e sem contradição, o astrólogo mais hábil de seu tempo e que foi um grande sábio da Astrologia. Segundo se diz, deixou uma série de cálculos mediante os quais se pode prever a boa ou má fortuna de todos os anos de sua vida.

Jesus de Nazaré: O Grande Cabir, o Divino Rabi da Galiléia. É o mais importante dos Grandes Mestres. Filho de dois altos iniciados, José e Maria (dentro do simbolismo alquímico). O Mestre Jesus encarnou ao Cristo Cósmico e sua vida e exemplos são testemunhos disso. Entre os essênios Ele era conhecido também como Jeshua ben Pandhira (nome de sua personalidade). Na obra Pistis Sophia, Jesus também é chamado de Aberamentho (nome de seu Íntimo). Dizem algumas tradições que o nome de seu Ancião dos Dias (o Pai de seu Pai) é Michael. Fundador do Cristianismo. É o mais alto Iniciado Solar do Cosmo. Único Mestre que foi capaz de representar o antigo Drama Cósmico dos iniciados em carne e osso. É o Chefe Supremo da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores. Diz-nos o mestre Samael que Jesus se encontra comumente na Igreja Gnóstica, no Templo de Alden e no Tibet Oriental.

Jinarajadasa: (Charles, 1875-1953). Teósofo indiano. Estudou filosofia e letras em Cambridge. Atuou na docência e teve ativa participação no movimento teosófico, presidindo, en 1944, a Sociedade Teosófica, da qual se constituiu em uma de suas mais altas personalidades. Quando o mestre Samael, em sua adolescência, era estudante na Sociedade Teosófica, recebeu o diploma de conclusão das mãos do próprio Jinarajadasa.

Jiriki: (jap.) Poder próprio (para alcançar a iluminação); o oposto de Tariki.

Jiva: (masculino): Vivente, abreviatura de Jivan-Atman (alma vivente), utilizado para designar a alma encarnada.

Jivan-Mukta: (masculino) Vivente liberado, se diz do Yoguin que logrou alcançar a última etapa do Yoga.

Joana d'Arc: (1412-1431) Heroína francesa, nascida em Domieny, de origem humilde e grande piedade. Aparições de Santa Clara, São Miguel e Santa Catarina a incitaram a salvar a França, ocupada então pelos ingleses. À frente de um exército, liberou Orleans e derrotou os ingleses em Patay. Fez coroar a Carlos VIII em Rheims e sitiou a Paris, porém teve de renunciar a sua empresa, por orden do próprio rei, abandonada, talvez, traidoramente, pelos seus, caiu em poder de seus inimigos, que a declararam culpada de heresia, e foi condenada a morrer na fogueira. O mestre Samael nos diz que Joana D'Arc foi uma Grande Alquimista e Mestra Ressurrecta, que logo após ser queimada reconstruiu seu corpo das cinzas, e vive ainda junto a outros ressurrectos no Templo da Bohêmia, Alemanha. Está encarnada em corpo feminino e mora atualmente na Califórnia.

Jonas: Grande mestre cabalista e teurgo, trabalhou intensamente nas regiões babilônicas, tentanto restaurar os Mistérios naquela área. Jonas foi um dos 12 Oanes babilônicos. Encarnou-se depois como Cristóvão Colombo e, posteriormente, como um discípulo de Samael na Colômbia, um humilde camponês da raça negra chamado Casimiro Güete.

João o Batista: Precursor de Jesus de Nazaré. Anunciou sua chegada, e exortava ao arrependimento em suas prédicas. Foi decapitado por ordem de Herodes Antipas a pedido de Salomé, filha de sua concubina Herodias e instigada por esta última. Ele era a reencarnação do profeta Elias. Foi o Avatar de Peixes e membro destacado da ordem gnóstica dos Batistas.

João Evangelista: Um dos 12 apóstolos de Jesus de Nazaré. Esteve junto a ele nos momentos mais importantes. Foi o discípulo amado. Escreveu o quarto evangelho e o Apocalipse, ambos repletos de citações esotéricas. É representado mediante uma águia, símbolo do elemento ar, a Sabedoria e a Inteligência Superiores. Bodhisatva do Mestre Johany. Representa a Constelação do Touro, e ele nos ensina o Poder do Verbo. Seu nome nos lembra os 7 mantras sagrados que despertam nossos 7 principais chacras astrais: I E O U A M S.

John Dee: (1527-1608) Ocultista, astrólogo e matemático inglês. Estudou as ciências herméticas reunindo uma grande coleção de manuscritos e, também, instrumentos alquímicos. Com seu amigo Edward Kelley (1555-1595) levou a cabo práticas mágicas e necromânticas.

Jôjitsu: (jap.) Escola da Perfeição da Verdade, fundada no Japão pelo monge coreano Ekwan em 625, com base na escola Ch'eng-Shih chinesa. A escola não exite independentemente, mas sim como uma parte da escola japonesa Sanron (chin. San-Lun).


Johfra: Artista contemporâneo, criador de um Zodíaco que abriga algumas das tradições esotéricas mais importantes: Neoplatônica, Hermética e Cabalista. É autor de uma vasta obra, especialmente os Signos Zodiacais, tão usados entre os estudantes gnósticos.

Jorge Adoum: Nasceu em Beirute, Líbano, em 10 de março de 1897, onde começou seus estudos superiores, e os terminou em Lyon, na França. Ali começou o processo profundo de sua Iniciação nas Escolas Ocultas à curiosidade dos profanos. Sofreu no Líbano os horrores da Primeira Guerra Mundial, cujos relatos, em parte, encontram-se em seu livro Adonai. Viveu grande parte de sua vida no Equador, depois de ter-se diplomado em Medicina na França. No Equador constituiu sua família. Percorreu quase todos os países sul-americanos dando conferências gratuitamente, editando suas obras, fazendo o bem. Viveu no Brasil os últimos anos de sua vida terrena, aqui semeou o que tinha e o que jazia em seu Ser, em seu Eu Sou. Foi autor de mais de 60 obras, entre ocultismo, maçonaria, arabismo e poesia. Em 4 de maio de 1958 renasceu no Mundo da Verdadeira Luz.


José de Arimatéia: Discípulo de Cristo que obteve de Poncio Pilatos o corpo de Jesus e o fez sepultar. Segundo a lenda do Graal, Pilatos teria enviado antes o cálice da última ceia, para recolher o sangue que manava da ferida produzida no flanco do crucificado pela Lança de Longinus e que logo José de Arimatéia teria levado consigo à Espanha por volta do ano 64. O VM Samael nos diz que Arimatéia levou este Cálice sagrado até a região espanhola de Montserrat, na Catalunha, onde o escondeu. Posteriormente, segundo ainda Samael, parte do castelo onde estava o Graal submergiu-se em estado de Jinas, ou seja, na 4ª Dimensão. A devota comitiva que acompanhou Arimatéia, depois de depositar o Cálice Santo na Espanha, continuou sua peregrinação até as Ilhas Britânicas, plantando nessas terras as primeiras sementes daquilo que conhecemos como o Ciclo Bretão do Graal (Merlin, Rei Arthur, Távola Redonda etc.).

Jugyu: [-No] (jap.) Zu. Dez Figuras do Boiadeiro; representação gráfica dos diversos níveis de realização zen.

Juju: [-Kin] -Kai (jap.) Dez Preceitos Principais da escola zen (não matar, não roubar, não cometer adultério, não mentir, não difamar, não ser orgulhoso ao elogiar, não cobiçar, não ter raiva, não difamar as Três Jóias).

Jules Doinel: Esoterista francês, de misteriosa vida. Fundou em Paris uma Igreja Neoalbigense, a que chamou Igreja Gnóstica Universal, a que pertenceram renomadas figuras do esoterismo, tais como Papus e Arnold Krumm-Heller.

Juliano: Chamado o Apóstata (331-363). Imperador romano. Elifas Levi nos diz que era um iluminado e um iniciado de primeira ordem. Também nos diz que: "Juliano não era pagão, senão um Gnóstico expert nas alegorias do Politeísmo Grego".

Júpiter: (Mestre) Chamado também de Rishi Agastya e Mestre do Nílguiri. Segundo a literatura teosófica, é o Adepto ressurrecto mais antigo, mais velho, aqui na Terra que ainda trabalha com corpo físico e o mais antigo na Loja dos Mestres. Se lhe considera o regente da Índia e um profundo conhecedor da secular sabedoria ariana. Segundo o mestre Samael, foi um dos adeptos que mais intensamente trabalharam na Atlântida. Para Samael, o nome Júpiter não é um símbolo, um mito, mas um mestre real que trabalha nos mundos internos.

Justino: Foi discípulo dos apóstolos e morreu mártir no 2° século d.C. Suas obras foram seriamente mutiladas pela Igreja Católica e "reformadas". Escreveu, entre outras, O Apocalipse Baruc, que dista muito de ser o que se conhece, segundo Krumm-Heller. Seus seguidores gnósticos foram os Justinianos.


Read More
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
eXTReMe Tracker